Software patenteado pela UFSJ estará na Rio+20

Os desenvolvedores do software de gestão integrada, CataFácil, para associações e cooperativas de catadores de materiais recicláveis, foram convidados a participar de um painel sobre inovação para catadores, nesta sexta-feira, dia 22, às 16h, na Cúpula dos Povos da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimentismo Sustentável ( Rio+20). O objetivo é debater temas sobre a inclusão socioeconômica dos catadores, além de ampliar o debate sobre as oportunidades de geração de renda a partir da coleta seletiva, da reciclagem e transformação dos materiais.

O tema da mesa será “Novas Tecnologias para a Inclusão de Catadores” e terá a participação, além do CataFácil, de representantes do Instituto de Tecnologia de Massachussetts (MIT), Itaipu - Plataforma Tecnológica, Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alta Reciclabilidade (Abralatas) e Fundação AVINA. O debate será mediado pelo Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR). O debate tem como público alvo gestores públicos, ONG`s e acadêmicos da área de gestão de resíduos e inclusão social de catadores.

Um dos desenvolvedores, David Romeros, considera que o CataFácil está ligado ao evento, que tem como meta discutir a redução da pobreza, promover a justiça social e a proteção do meio ambiente. “Será uma grande oportunidade para mostrar o trabalho nascido na UFSJ, e de trocar ideias com quem tem se debruçado sobre os problemas da inclusão de catadores, além de construir novas parcerias para fazer a tecnologia de fato chegar as cooperativas de reciclagem”, completa o programador do software, Carlos Brighenti.

CataFácil

O software foi criado em 2007 na UFSJ, sendo um ERP (Enterprise Resource Planning), sigla em inglês para planejamento de recursos empresariais, que tem a demanda de ajudar catadores da Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de São João del-Rei (Ascas) a serem mais autônomos na gestão de seu empreendimento. Uma parceria entre a UFSJ, MNCR, Fundação AVINA e os desenvolvedores tem possibilitado o desenvolvimento da tecnologia com foco nas necessidades dos Catadores e com a meta de se tornar uma tecnologia acessível ao maior número de interessados.

Além da Ascas, que roda a primeira versão, outras três cooperativas devem receber, ainda em 2012, a versão 2.0 do CataFácil. Ela deverá ter, como inovação, uma interface mais agradável. Essas implementações foram viabilizadas pela parceria entre UFSJ, MNCR e Fundação AVINA. 


Publicada em 21/06/2012
Fonte: ASCOM

 Voltar