Aluna da UFSJ vence “Do it! Challenge” com projeto sobre igualdade de gênero

“De mulher para mulher” promove a igualdade no mercado de trabalho com plataforma de consultoria online para mulheres

A estudante de Engenharia Química da UFSJ, Rayane Bernardes, foi a vencedora da categoria “Igualdade de gênero” do prêmio “Do It! Challenge! 2017”. Ela concorreu com o projeto “De mulher para mulher”, que busca oferecer oportunidades de trabalho mais justas, impactando a vida de mulheres, inclusive mães. 

Organizado por uma parceria entre o Eureca e a AIESEC do Brasil, o “Do it! Challenge!” une jovens talentos para propor soluções a três Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU: fome zero, educação de qualidade e igualdade de gênero.

A princípio, a votação dos projetos aconteceu online pelo site do concurso. Por meio dela, a estudante Rayane foi selecionada como uma das finalistas para participar do “YouthSpeak Fórum”, ocorrido na última terça-feira (25) em São Paulo.

Durante o evento, com a participação aproximada de 600 estudantes, Rayane apresentou presencialmente o projeto, falando sobre os resultados e ações desenvolvidas no Campus Alto Paraopeba (CAP). Nessa etapa, cada categoria teve três finalistas, avaliados pelo público e por jurados. Como prêmio, Rayane recebeu cursos, intercâmbio e investimentos para a concretização do projeto.

De mulher para mulher

O projeto desenvolvido pela estudante Rayane Bernardes se encaixa em uma das Metas do Milênio da ONU que é a igualdade de gênero. Ele pretende reduzir a disparidade do público feminino no mercado de trabalho, promovendo a autonomia financeira, a capacitação e a conciliação da vida profissional com a maternidade.

A iniciativa consiste, especificamente, em plataforma de consultoria online para negócios e projetos feitos, majoritariamente, por mães de diversas formações profissionais. O objetivo é auxiliar as mulheres a abrirem seus próprios negócios ou ainda acompanhar as que lideram empresas de pequeno e médio porte.

A ideia é inspirada no projeto de extensão “Inclusão das Mulheres nas Ciências e na Tecnologia - IMCT”, do Campus Alto Paraopeba (CAP), e também na pesquisa “Gênero e Ciência: Um estudo sobre as mulheres na engenharia”, ambos coordenados pela professora Kelly Dozinel, dos quais Rayane participou.


Publicada em 28/07/2017
Fonte: ASCOM

 Voltar