Encontro do Forproex na UFSJ discutiu caminhos para a extensão

Discutir a autonomia universitária e deliberar sobre ações articuladas de modo a fortalecer a extensão diante do contexto sócio-histórico e político vivenciado pelas instituições públicas de educação superior brasileiras. Este foi o principal objetivo do 50º Fórum Regional de Pró-Reitores de Extensão (Forproex Sudeste), que aconteceu nos dias 27 e 28 de abril, no Campus Santo Antônio da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Organizado pela UFSJ, pela Federal de Juiz de Fora (UFJF) e a coordenação do Forproex Sudeste, o evento trouxe às mesas de discussão o debate sobre como adaptar os trabalhos extensionistas à nova realidade das universidades.

Uma das convidadas da mesa de abertura, a deputada federal, professora universitária e ex-reitora da UFJF, Margarida Salomão, defendeu, em sua palestra, a extensão universitária como “forma de resistência dentro de um sistema que tenta nos dividir”. A professora ressaltou “o quanto a extensão hoje é relevante nessa conjuntura universitária”, citando que o “golpe ocorrido em 2017 no nosso país cria dificuldades expressivas para todas as universidades públicas e federais”. Para Margarida, as instituições “estão pagando um custo altíssimo com essa reviravolta política”, e a extensão “tem esse papel central não só na defesa da Universidade, da sua missão na sociedade desigual como é o caso da sociedade brasileira, mas, também, em um contexto mundial que passa por um processo de profunda conturbação”.

A coordenadora do Forproex Sudeste, Ana Lívia de Souza Coimbra, destacou que “a Universidade trabalha em um campo de direitos, desenvolve trabalhos que contribuem para que um grande segmento populacional tenha acesso a direitos na área da Saúde, Educação e do Trabalho. A comunidade, tendo acesso a esses direitos, vai ajudar a defender a universidade pública num momento em que ela passa por tantos ataques. É resgatar direitos, fortalecer direitos e fortalecer ainda mais a educação pública”.

Orçamento e fomento da extensão

Durante a mesa de trabalhos com o tema “Orçamento e fomento da extensão: cenários e proposições”, o reitor da UFSJ e membro da Comissão de Orçamento da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), professor Sérgio Cerqueira, apresentou, em parceria com o reitor da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), Luís Passoni, o contexto social, político e econômico em que vivem as universidades no Brasil.

Em seguida, os pró-reitores de extensão do Forproex Sudeste se dividiram em dois grupos de trabalho: o GT 1, com o tema a “Deliberação sobre ações a respeito do orçamento da extensão nas instituições de educação superior públicas federais”, e o GT 2, que deliberou sobre “ações a respeito do orçamento e fomento da extensão nas instituições de educação superior públicas estaduais”.

O reitor da UFSJ ressaltou a importância da extensão como forma de diálogo. “A universidade brasileira, nos últimos anos, criou maturidade, capacidade, um crescimento na oferta de serviços que a sociedade demanda”, celebra, apontando as consequências desse processo: “isso leva a uma mudança na maneira de pensar a extensão. Nós temos, agora, que repensar a extensão considerando tudo o que acontece ao nosso redor”.

Ainda segundo Sérgio Cerqueira, é necessário olhar a extensão a partir do diálogo com a sociedade, ver quais são as suas demandas. “É preciso buscar agora, dentro da Universidade, aspectos fundamentais como financiamento. É preciso que essa extensão tenha suporte financeiro, sendo necessário repensar as formas de financiamento da extensão”, afirmou. Quanto ao atual momento pelo qual passa o país e, especificamente, as universidades, Sérgio Cerqueira destacou que as discussões fomentadas pelo evento contribuem para enfrentar os desafios. “Eu sei que nós estamos passando por um momento difícil, mas é em momentos como este que temos de aproveitar para fazer uma reflexão e nos prepararmos para um próximo momento em que poderemos desenvolver mais na Universidade”.

Ana Lívia ressaltou, ainda, que o evento foi uma oportunidade para todos os pró-reitores e suas equipes pensarem a política de extensão e nas áreas que irão atuar para fortalecer a extensão na Região Sudeste e no próprio país. A coordenadora do Forproex Sudeste destaca que “o mote central foi analisar a conjuntura, entender a questão orçamentária e como a gente pode estruturar ações que possam considerar esse cenário, esse orçamento que é direcionado para o sistema público e articulações de fortalecimento da extensão na Região Sudeste”.

Carta de São João del-Rei

Ao final do Fórum, foi elaborada e votada a Carta de São João del-Rei, disponível aqui. Uma nota de repúdio também foi publicada em decorrência da ação da Polícia Militar do Distrito Federal no dia de 26 de abril de 2018 diante do protesto dos alunos da Universidade de Brasília (UnB). Na ocasião, os alunos da UnB protestavam contra os cortes de verbas da instituição e solicitavam audiência com o Ministério da Educação, quando teriam sido agredidos pelos policiais com sprays de pimenta e cassetetes. A nota está acessível aqui

Contexto nacional

Com a aprovação da PEC 55 (ou “PEC do Teto”), que congela os gastos públicos por 20 anos a partir de 2018, inclusive no que tange às áreas de educação e saúde, e com os cortes no orçamento de universidades federais, os investimentos estão escassos. Há consenso de que a extensão universitária, em especial, tem sofrido bastante com o momento de crise. O Programa de Extensão Universitária do Ministério da Educação (ProExt) não financia ações de extensão desde o Edital 2016.

Extensão na UFSJ

A Universidade tem como missão ser um centro produtor de conhecimento e desenvolver com excelência as atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão indissociavelmente, contribuindo para mudanças e avanços para uma sociedade justa e igualitária, por meio da produção e socialização dos conhecimentos acadêmico, tecnológico, artístico e filosófico, tendo como parâmetros os princípios éticos e humanísticos, de acordo com o Plano de Desenvolvimento Institucional.

A Extensão da UFSJ é concebida de forma articulada com a Pesquisa e com o Ensino, como aquela que promove a relação entre Universidade e Sociedade, por meio de troca de saberes e da democratização do conhecimento acadêmico.

São 124 projetos e programas aprovados por meio do Edital Pibex 2018, que atuam em diferentes áreas, como Comunicação; Cultura; Direitos Humanos e Justiça; Educação; Meio Ambiente; Saúde; Tecnologia; Produção e Trabalho, com projetos e programas integrados às demandas apresentadas pela sociedade. Vários projetos de pesquisa e extensão são desenvolvidos em parceria com prefeituras e outras instituições locais.


Publicada em 15/05/2018
Fonte: ASCOM

 Voltar