Equipe Komiketo Baja é segundo lugar em competição regional

Visando à etapa nacional, equipe de competições da UFSJ alcança bom resultado na Etapa Sudeste

A Equipe Komiketo Baja faturou o segundo lugar geral da 12ª Etapa Regional Baja SAE Brasil, que aconteceu na Escola de Engenharia de Piracicaba, no interior de São Paulo. A Etapa Sudeste é um grande teste para a nacional, que acontecerá em São José dos Campos em fevereiro de 2019, onde as equipes disputarão vaga para a Etapa Internacional, nos Estados Unidos, país onde surgiu a modalidade.

O capitão da Komiketo Baja, Eduardo Shiguemoto, responsável por manter o foco e a calma da equipe, exaltou o resultado alcançado: “essa colocação no regional é um marco, a melhor colocação que já tivemos na história da equipe”, celebra. Para Eduardo, a conquista pode dar “confiança e força de vontade, principalmente aos novos integrantes, para construir o próximo carro e ir para a Etapa Nacional”. A equipe tem dez anos de existência, e fazem parte dela alunos dos cursos das Engenharias Mecânica, Elétrica e Produção, do Campus Santo Antônio, em São João del-Rei.

O projeto SAE Baja é uma competição entre Instituições de Ensino Superior de Engenharia em que um veículo off road é construído visando à aplicação prática, pelos estudantes, dos conhecimentos adquiridos em sala de aula. Os veículos, que comportam apenas o piloto, passam por testes que avaliam o projeto, conforto, segurança e a parte dinâmica do carro de acordo com o regulamento elaborado pela SAE BRASIL, filiada à SAE International.

O piloto da Komiketo, Marcelo Esposte, estava em sua segunda competição - já havia disputado a Etapa Nacional neste ano. Segundo ele, não há muita diferença entre as duas competições, já que participam da Etapa Sudeste equipes de ponta. “O nervosismo existe, mas fazemos muitos testes aqui na pista, e às vezes andamos com outras equipes para treinar”, ressaltou Marcelo.

Construir um novo carro

A conquista marcou a aposentadoria do carro, carinhosamente chamado pela equipe pelo nome “Helô”, que, após passar por testes para a elaboração de relatórios, será desmontado. O grande desafio agora, segundo o professor e coordenador do projeto, Francisco José Figueiredo, é a montagem de um novo carro que possa superar seu antecessor. “Teremos uma reunião neste mês, quando essa responsabilidade será passada para os alunos: Construir um novo carro para as próximas competições”.
 


Publicada em 10/09/2018
Fonte: ASCOM

 Voltar