Seminário de pós-abolição recebe lideranças das culturas negras nesta terça, 21

Começa nesta terça-feira, 21 de maio, o I Seminário de Pós-abolição e História Pública da UFSJ. As atividades estão programadas para acontecer até 23 de maio, no Campus Dom Bosco, em São João del- Rei.

O Seminário terá a participação de pesquisadores convidados de diferentes universidades do país, com pesquisas reconhecidas na temática do Pós-abolição e na proposta de atuação da história pública. Estarão presentes pesquisadores da Universidade Federal Fluminense, Universidade Federal de Juiz de Fora, Universidade Federal do Pará, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro e Centro Universitário Celso Lisboa.

A programação do primeiro dia de evento traz, às 19h, a mesa redonda "História Pública e luta Antirracista em Minas Gerais - Roda de Conversa com lideranças ligadas à Cultura Negra", com as seguintes presenças:

Celina Batalha (Ialorixá do Terreiro Ty Oxum - Egbe Elê Omidewa Asé Igbolayo);
Cláudio Márcio do Carmo (Babalorixá do Terreiro Ty Oxóssi - Ilê Axé Omolocô Ti Oxóssi Ogbani);
Pedrina de Lourdes Santos (Capitã do Massambique de Nossa Senhora das Mercês de Oliveira);
Sidney Alves Moreira (Babalorixá do Terreiro Nzó Atim Oiá Oderim Atim Katispera);
Ana Luzia (Rainha Conga do Massambique de Nossa Senhora das Mercês de Oliveira);
Maria Auxiliadora Mártir (Capitã do Moçambique e Catopé Nossa Senhora do Rosário e São Benedito – São Dimas);
José Tadeu do Nascimento (Capitão do Congado São Benedito e São Sebastião – Matosinhos);
Mário Tomé Sobrinho (Congado e Moçambique de Piedade do Rio Grande);
Claudinei Matias do Nascimento (Capitão do Congado de Nossa Senhora do Rosário e Escrava Anastácia);
Vicentina Neves Teixeira (Grupo de Inculturação Afro-descendentes Raízes da Terra).

Em São João del-Rei

​Há muito a historiografia indicou o fato de ter sido a antiga Comarca do Rio das Mortes, cuja cabeça era São João del-Rei, a região de maior presença de escravos em Minas Gerais, que, por sua vez, foi a maior província escravista do Império. O panorama historiográfico e a importância da presença negra em Minas e, especialmente, em São João e entorno, sustentam a realização de Seminário voltado a essa temática na UFSJ.


Publicada em 21/05/2019
Fonte: ASCOM

 Voltar