Disciplina "Felicidade e projeto pessoal" recebe inscrições

No primeiro semestre de 2019, noticiamos que uma disciplina pautada na felicidade e em projetos pessoais e profissionais estava sendo ministrada no Campus Dom Bosco (veja aqui). Intitulada “Projeto Pessoal e Profissional: Felicidade, Gratidão, Perdão, Autoconhecimento e Preparação para a Prática Profissional", era ofertada pelo Departamento de Psicologia (Dpsic). O segundo período do ano reserva uma nova etapa para quem se interessou pelo assunto: o professor Marco Antônio Silva Alvarenga, do mesmo departamento, lecionará a disciplina "Felicidade e projeto pessoal".

A matéria trabalha a ideia de que a busca pelo bem-estar dentro de tantos desafios e adversidades é um tema muito caro à sociedade atualmente. Segundo o professor, pretende-se, com a disciplina, “primeiramente atender às demandas reais dos estudantes universitários. [A matéria] envolve muitos temas relacionados à evolução pessoal, e penso que a troca desses conhecimentos poderá ajudar no desenvolvimento profissional”.

As aulas serão expositivas e haverá, também, debates em forma de rodas de conversas, visando a uma reflexão coletiva dos assuntos tratados. A disciplina será ofertada no segundo semestre de 2019 dentro do calendário acadêmico da UFSJ, ministrada às quartas-feiras, 19h, no Campus Dom Bosco. Poderá ser cursada por qualquer estudante de graduação, como optativa ou eletiva, sem pré ou co-requisito, e como isolada por pessoas que não estejam matriculadas em uma instituição de ensino superior.

As matrículas poderão ser feitas até o dia 11 de agosto pelo portal https://ufsj.edu.br/copsi/terceira_etapa.php.

Acolhimento e transformação

Marco Antônio ressalta que cada um de nós é “um ser único, com qualidades e potencialidades, mas que precisa atuar socialmente, aprendendo a se comunicar, expressar sentimentos de modo afirmativo e assertivo, e saber, em contrapartida, escutar, compreender, perdoar e seguir adiante”. Ao longo da disciplina, o aluno deve entender como ele pode se desenvolver e como isso afeta a si mesmo e as pessoas ao seu redor. Também deve refletir sobre suas dores e angústias pessoais, “mas sem se machucar”.

“Vi e vejo estudantes passando por momentos difíceis, com grande dificuldade para enfrentar tais adversidades, afinal estamos em um período de incertezas e dúvidas, o que aumenta nossa ansiedade”, afirma, lembrando que o último relatório da Organização Mundial da Saúde apontou o Brasil como país com maiores índices de quadros ansiosos e depressivos da América Latina, e em segundo lugar para todo continente americano, atrás apenas dos Estados Unidos. “A disciplina traz a possibilidade de acolhimento e transformação”, arremata.


Publicada em 08/08/2019
Fonte: ASCOM

 Voltar