UFSJ apoia adiamento do Enem

A Universidade Federal de São João del-Rei é a favor do adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), previsto para os dias 1º e 8 de novembro, na versão impressa, e 22 e 29 de novembro, na versão digital. A decisão foi tomada hoje, 18, em conjunto com outras 18 instituições de ensino de Minas Gerais, por meio do Fórum das Instituições Públicas de Ensino Superior (Foripes).

O reitor Marcelo Pereira de Andrade disse que a decisão se deve ao fato de que, por conta da pandemia e da quarentena, muitos alunos ficaram sem aulas, o que pode prejudicá-los na realização das provas. “Não podemos negar que esse é um momento muito esperado pelos jovens que têm o sonho de ingressar numa universidade pública como a nossa.” Com as aulas suspensas, os conteúdos ficaram prejudicados – o acesso à internet não é universalizado para aulas a distância, o que agrava ainda mais as desigualdades da concorrência, em especial na universidade pública.

A vice-reitora, Rosy Maciel, concorda com o posicionamento adotado pelo Foripes. Ela avalia que, como o isolamento social prejudicou uma série de atividades, incluindo o ano letivo, é necessário cautela para a realização de um exame que pode definir a vida de um jovem. “Sabemos que muitas escolas, principalmente as públicas, não têm condição de ministrar o conteúdo a distância, por uma série de motivos, o que traz prejuízo para milhares de estudantes”, acrescentou Rosy.

Já a pró-reitora de Ensino de Graduação, Elisa Tuler, acredita que não só os alunos vão sair prejudicados com a manutenção do calendário do Enem. É preciso avaliar também como serão retomadas as rotinas acadêmicas, para que não haja descompasso entre finalização de semestre e ingresso dos novos alunos. “A entrada no Ensino Superior é cercada de muitas expectativas. Temos que estar preparados para receber nossos calouros”, avalia Elisa.

Leia a seguir íntegra da nota oficial Pelo adiamento do Enem 2020:

O Fórum das Instituições Públicas de Ensino Superior (FORIPES), formado pelas universidades e institutos federais mineiros, pelo CEFET-MG e pelas universidades estaduais (UEMG e UNIMONTES) vem a público posicionar-se pelo adiamento da realização do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2020.

É inegável que o ENEM se tornou, nos últimos anos, uma importante ferramenta de racionalização e democratização de oportunidades para o acesso ao ensino superior. Em Minas Gerais todas as instituições públicas utilizam o ENEM como parte do seu processo de ingresso e reconhecem que, associado a outros importantes fatores, a marcante mudança no perfil sócio econômico dos estudantes das universidades mineiras passa por sua adoção. A organização de um exame nacional que permite nivelar as oportunidades pela realização de uma mesma prova, torna um pouco mais equânime a competição entre alunos de escolas públicas e privadas, ricos e pobres.

Como é evidente e vem sendo reiterado por organizações cientificas nacionais e internacionais o atual momento é de prevenção, contenção e mitigação dos danos da pandemia e Covid-19. Nesse cenário é necessário reconhecer que os custos das situações extremas tendem a recair com mais força sobre os mais pobres, que se não forem enfrentadas com doses robustas de políticas públicas, tendem a acentuar ainda mais as desigualdades.

É também conhecida a dificuldade de acesso à educação de muitos brasileiros que só tende ao agravamento com a pandemia de Covid-19.

Nesse contexto extraordinário e desigual entendemos que a insistência na manutenção da data tradicional do Enem 2020, como se não houvessem inúmeras dificuldades a ser enfrentadas pode trazer graves prejuízos não apenas aos estudantes, mas também para as instituições.

Assim, pedimos que o ENEM 2020 seja adiado para uma data mais oportuna, a ser definida tão logo o quadro atual seja melhor compreendido e possamos, então, de forma segura, realizar o exame dentro de condições mais favoráveis e justas.

Prof. Flávio Antônio dos Santos – Centro Federal de Educação Tecnológica – CEFET/MG
Prof. Kléber Gonçalves Glória – Instituto Federal de Minas Gerais – IFMG
Prof. José Ricardo Martins da Silva – Instituto Federal do Norte de Minas Gerais – IFNMG
Prof. Charles Okama de Souza – Instituto Federal do Sudeste de Minas – IFSEMG
Prof. Marcelo Bregagnoli – Instituto Federal do Sul de Minas Gerais – IF SUL DE MINAS
Profa. Deborah Santesso Bonnas – Instituto Federal do Triângulo Mineiro – IFTM
Profa. Lavínia Rosa Rodrigues – Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG
Prof. Antônio Alvimar Souza – Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES
Prof. Sandro Amadeu Cerveira – Universidade Federal de Alfenas – UNIFAL-MG
Prof. Dagoberto Alves de Almeida – Universidade Federal de Itajubá – UNIFEI
Prof. Marcus Vinícius David – Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF
Prof. João Chrysóstomo de Resende Júnior – Universidade Federal de Lavras – UFLA
Profa. Sandra Regina Goulart Almeida – Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG
Profa. Claúdia Aparecida Marliére de Lima – Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP
Prof. Marcelo Pereira de Andrade – Universidade Federal de São João del-Rei – UFSJ
Prof. Valder Steffen Junior – Universidade Federal de Uberlândia – UFU
Prof. Demétrius David da Silva – Universidade Federal de Viçosa – UFV
Prof. Luiz Fernando Resende dos Santos Anjo – Universidade Federal do Triângulo Mineiro – UFTM
Prof. Janir Alves Soares – Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM
 


Publicada em 18/05/2020
Fonte: ASCOM

 Voltar