Startup mais desejada no LinkedIn é de egresso da Economia

Leonardo Almeida, ex-aluno do curso de Economia da UFSJ, é o fundador e presidente da Menu: startup que ocupa atualmente o primeiro lugar na lista do LinkedIn, como a mais desejada para se trabalhar. À frente de outros destaques como Nubank, a Menu, criada em 2016, possui um marketplace que conecta indústrias diretamente com bares e restaurantes. Foi com a experiência nas áreas de e-commerce e indústria alimentícia, e observando a dificuldade que os pequenos negócios tinham para comprar produtos da indústria, que Leonardo e seu sócio, Gustavo Penna, decidiram criar uma startup que fizesse a ponte com os distribuidores. O negócio tem sede em São Paulo e trabalha com uma logística que pode ser feita tanto pela indústria quanto pela própria Menu. Caso a empresa parceira não tenha como entregar direto nos pontos de venda, ela deixa os produtos em um armazém da startup e ela se encarrega de levar até os bares e restaurantes que fizeram os pedidos.

O negócio foi estruturado com capital próprio até 2017, quando os primeiros investidores apostaram na companhia. Em 2019, o crescimento exigiu mais investimento na tecnologia necessária para que a Menu atuasse de forma relevante no mercado no qual está inserida. Além de criar o Menu Hub, uma solução customizada para atender franquias que, em geral, precisam comprar produtos padronizados pela rede franqueadora.

Em março deste ano, a startup também criou a Menu Box, serviço no qual a companhia se encarrega de atender aos pequenos negócios que precisam comprar somente uma ou duas unidades de cada produto.

Com a pandemia provocada pelo novo coronavírus, a necessidade do isolamento social ocasionou o fechamento de bares e restaurantes em todo o país. Apesar das dificuldades pelas quais o setor de alimentação passou nesse período, a Menu se expandiu e chegou a 150 funcionários.

O plano da Menu para o segundo semestre de 2020 é um maior investimento em marketing e vendas para ganho de escala. Já para 2021, a startup planeja crescer quatro vezes de tamanho, entrando nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste.


Publicada em 13/10/2020
Fonte: ASCOM

 Voltar