Projeto no Campus Sete Lagoas populariza estudo de Anatomia Vegetal

O projeto “Prospecção de Corantes Alternativos de baixo custo para uso em Anatomia Vegetal” desenvolveu uma nova e acessível técnica de coloração utilizada nos estudos em microscópio. A pesquisa foi desenvolvida no Laboratório de Anatomia Vegetal (LAV) do Departamento de Ciências Exatas e Biológicas no Campus de Sete Lagoas da UFSJ (CSL).

A iniciativa é do professor Cleber José da Silva, coordenador do LAV, em parceria com o professor Leonardo Henrique França de Lima, coordenador do Laboratório de Modelagem Molecular e Bioinformática. O projeto, que contou também com uma equipe de quatro bolsistas, teve como objetivo desenvolver um método de coloração, necessário para os estudos em microscópio, que pudesse substituir os corantes sintéticos e tornar o estudo de Anatomia Vegetal mais acessível.

Os resultados do trabalho foram publicados este ano no artigo “An inexpensive and environmentally friendly staining method for semi-permanent slides from plant material probed using anatomical and computational chemistry analyses” (Um método de coloração barato e ecologicamente correto para lâminas semipermanentes de material vegetal sondado usando análises químicas anatômicas e computacionais, em livre tradução).

O professor Cleber conta que o próximo passo do grupo é levar a iniciativa para as escolas da região com o projeto "Anatomia Vegetal descomplicada: popularizando a Anatomia Vegetal - da Universidade às Escolas de Ensino Básico". A partir do desenvolvimento de uma metodologia de baixo custo para produção do material necessário, a expectativa é viabilizar alternativas diante das barreiras de falta de estrutura que muitas escolas enfrentam. “Creio que será uma excelente contribuição para despertar nos estudantes e professores o desejo de aprofundamento na Ciência, possibilitando experiências científicas relevantes para formação de futuros cientistas.” conta o professor.

Para saber mais sobre o projeto e outras iniciativas do LAV, acesse a página do laboratório.


Publicada em 21/12/2020
Fonte: ASCOM

 Voltar