600 mil perdas

Nesta sexta-feira, 8 de outubro, dados oficiais das secretarias de Saúde confirmam que ultrapassamos a barreira de 600 mil vidas perdidas para a covid-19 no Brasil. Muitas perdas e muitos aprendizados. Levar a sério esses aprendizados salva vidas e demonstra respeito às famílias que perderam pessoas queridas.

O primeiro aprendizado: vacinas ajudam, e muito, a reduzir as mortes e internações por covid-19. Todos os estudos, inclusive com milhões de pessoas, comprovam isso, no Brasil e em outros países. Não à toa, a UFSJ participa ativamente do processo de vacinação, como já publicamos algumas vezes em nossos canais – da logística à aplicação da vacina, professores, técnicos, alunos e funcionários terceirizados da instituição fazem sua parte no combate à pandemia.

Sempre que informações falsas sobre vacinas ganham força, acusando-as de serem inseguras ou até ineficazes, a Universidade responde, como na série de vídeos que reuniu alguns dos profissionais mais capacitados da UFSJ e o pesquisador Luiz Carlos de Sá-Rocha (USP). Vacinas, inclusive contra covid, passam por testes rigorosos que garantem sua segurança e eficácia. Vacinas já erradicaram outras doenças e são fundamentais para controlar a pandemia de covid, também.

O segundo aprendizado: máscaras e distanciamento ajudam, e muito, a evitar que o vírus se espalhe. E isso faz toda a diferença, mesmo com o avanço da vacinação, porque nenhuma vacina é 100%, especialmente entre os grupos vulneráveis, como os mais idosos. Vacinação precisa ser acompanhada de medidas de prevenção, até que a pandemia seja controlada. Seguimos firme em campanhas pelo uso de máscaras e pela rigidez e cumprimento de protocolos de biossegurança, inclusive dentro da instituição.

Sentimos muito as perdas e novamente desejamos não precisar divulgar esse tipo de notícia no futuro. Mas, afinal, é falando sobre as perdas e os aprendizados que podemos fazer diferente.

A pandemia não acabou. Centenas de brasileiros e brasileiras perdem suas vidas a cada dia por covid-19. Façamos a nossa parte, vacinando, usando máscara, mantendo distanciamento sempre que possível.


Publicada em 08/10/2021
Fonte: ASCOM

 Voltar