Em livro, a saga sírio-libanesa em São João del-Rei

Ainda pouco pesquisada, uma das mais belas páginas da história de São João del-Rei, a imigração sírio-libanesa, ganha agora um importante registro. Será lançado nesta sexta, 10, às 20h, no Teatro Municipal, o livro Sírios e Libäneses em São João del-Rei – vidäs e históriäs, que relata as memórias familiares desta colônia de imigrantes, que provocou profundas transformações na cultura, na sociedade e na economia da Cidade dos Sinos.

A partir de 1904, Minas Gerais passou a receber imigrantes vindos da Síria e do Líbano, sendo a cidade de São João del-Rei um dos principais destinos desses trabalhadores no Estado. Em sua maioria, vinham de pequenas aldeias com agricultura de subsistência, mas tinham no “mascatear” – no comércio de porta-em-porta, a principal ocupação profissional no Brasil. Ao longo dos anos, os sírio-libaneses escreveram na cidade uma história de amor ao trabalho e empreendedorismo, fundando fábricas de tecidos e diversos estabelecimentos comerciais.

49 patriarcas
O livro é organizado pela professora do Departamento de Ciências Naturais, Angela Maria Gattás Hallak, e surgiu a partir de uma sugestão do são-joanense Airton Campos Tirado. “Quem nos transmitiu a idéia na verdade foi o irmão do Airton, o professor Abgar Campos Tirado, que assina o prefácio”, revela Angela. O livro é também resultado do trabalho de um grupo de 17 pessoas, que desde 2019 atuou em diversas frentes, até o lançamento da obra editorial.

Ao todo, são 49 capítulos, em que cada família desvela suas histórias e memórias. “São 49 patriarcas, mas cada um deu origem a diversas famílias”, acrescenta. Além do prefácio, há também um texto introdutório sobre o contexto social, político e econômico de São João del-Rei na época da imigração. Para Angela Hallack, o que sobressai das páginas são as dificuldades e problemas vivenciados pelos imigrantes na sua chegada e adaptação ao Brasil. “Foram inúmeros sacrifícios, a fome, a dificuldade de comunicação, o modo de vida num país muito diferente. Mas é uma história de bravura, de heroísmo, que hoje nos enche de orgulho”, revela.

A professora do Departamento de Comunicação da UFSJ, Kátia Lombardi, também participou da equipe de elaboração e concebeu a capa do livro. Para ela, as fotos são fundamentais na obra e funcionam também, muitas vezes, como elemento disparador da memória, tornando mais fácil rememorar o passado. “Pelas fotografias, podemos imaginar como era o cotidiano dos imigrantes, como se vestiam, quais eram seus valores e costumes”, observa.

O lançamento de Sírios e Libäneses em São João del-Rei faz parte do calendário de comemorações dos 308 anos de São João del-Rei. “Será uma grande noite festiva, com muita música e alegria. Bem à moda dos sírio-libaneses”, prevê Angela Hallak.

 

Fotos: Kátia Lombardi e João Paulo Guimarães


Publicada em 10/12/2021
Fonte: ASCOM

 Voltar