Criação de jogos digitais com Saberes D'Avó entrega certificados

Programa ofereceu cursos nas escolas estaduais Prof. Iago Pimentel e Governador Milton Campos. Objetivo é aliar novas tecnologias aos saberes tão comuns aos mais idosos

O programa de extensão da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) “Criação de jogos digitais com Saberes D’Avó” entregou os certificados de conclusão das oficinas realizadas nas escolas Prof. Iago Pimentel e Governador Milton Campos, que tiveram como objetivo introduzir conceitos de programação e desenvolvimento de aplicativos por meio de metodologia com o desenvolvimento de jogos. O curso aconteceu durante seis semanas do primeiro semestre de 2017 e beneficiou 12 alunos na Iago e 26 na Milton Campos.

E o nome “Saberes D'Avó”, de onde vem? Do intuito do projeto, que é estreitar a relação entre os idosos e jovens. O projeto consiste no ensino de programação para os estudantes do ensino médio para desenvolver jogos do tipo quiz, utilizando como conteúdo desses jogos o conhecimento dos idosos.

O professor Dárlinton Carvalho, coordenador do programa, destaca que “a receptividade nas escolas foi muito boa e, inicialmente, as diretoras pediram mais de uma turma”, o que não foi viável devido à falta de recursos. Na Iago Pimentel, seis dos sete alunos concluintes eram garotas, o que chamou a atenção de Dárlinton, “pois a área de ciência, tecnologia e matemática tradicionalmente não desperta tanto interesse no público feminino”.

Um dos desafios do projeto foi enfrentar a evasão. Na Governador Milton Campos, apenas cinco dos 36 alunos concluíram o curso. A desistência já era esperada, por ser um fenômeno recorrente em cursos extraclasse oferecidos pela escola. Para investigar o fato, foi convidada a psicóloga e professora Laura Ituassu, da Faculdade de Educação da Uemg, unidade de Belo Horizonte, que veio a São João del-Rei para realizar um estudo em grupo focal. Foi identificada a necessidade de melhoramento do processo de seleção dos alunos, já que alguns relataram ter conhecimentos avançados de programação, enquanto outros sentiram dificuldades em realizar o curso.

A bolsista Ana Letícia Neves, estudante de Ciências da Computação, considerou “muito gratificante e satisfatório” ver a evolução dos alunos em cada prática. “E também a minha evolução no ‘ensinar’, algo que nunca havia feito antes”.

Ações futuras

A intenção é que o curso continue sendo desenvolvido. A proposta é aumentar a quantidade de escolas atendidas, com enfoque no ensino médio. Existe, ainda, a possibilidade de se criar um curso a distância, de modo a ampliar a oferta sem a necessidade de aumentar os recursos humanos. Dessa forma, pretende-se dinamizar o modo de trabalho por meio do uso de novas tecnologias digitais, como os Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA).

Sobre as possíveis mudanças no curso, Ana Letícia destaca: “Vamos ensinar os alunos, com o auxílio do MIT AppInventor (uma plataforma virtual de criação de aplicativos e jogos), a criarem um aplicativo que os conecte com sua avó, com a sua família em geral. Pretendemos, também, alterar algumas partes das aulas, tentando, assim, fazer com que eles tenham mais desafios e consigam fazer aplicativos mais bem elaborados”. E finaliza: “o Projeto Saberes D’Avó busca sempre ampliar os horizontes dos alunos para empoderá-los e mostrar que a tecnologia pode e deve ser utilizada de forma positiva”.

Para saber mais sobre o programa clique aqui

Todas as sextas-feiras, o site de notícias da UFSJ traz o Comunica Extensão, com novidades sobre as ações extensionistas da nossa Universidade. Em virtude da paralisação prevista para esta sexta-feira, 10, adiantamos a publicação da semana. Acompanhe!
 


Publicada em 09/11/2017
Fonte: ASCOM

 Voltar