Setembro Amarelo: como buscar ajuda para prevenir o suicídio

Alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção. Esse é o objetivo do Setembro Amarelo, campanha de conscîentização que acontece este mês em São João del-Rei e em diversas cidades brasileiras.

Os problemas de saúde mental são um mal silencioso, pois as pessoas fogem do assunto e, por medo ou desconhecimento, não identificam os sinais de que uma pessoa próxima está com ideias suicidas. Para quebrar esses tabus, é preciso falar sobre o assunto, esclarecendo, conscientizando e estimulando a prevenção.

Estudantes, professores e técnicos da UFSJ podem encontrar ajuda na própria instituição.

Saiba como:

Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proae)

Em todas as cidades em que a UFSJ possui campus, a Proae indica psicólogos credenciados e gratuitos para auxiliar o atendimento. Em São João del-Rei e Divinópolis, há o Plantão Psicológico todas as quintas-feiras, das 9h às 11h e das 14h às 16h, na Pró-Reitoria. Não é necessário agendamento prévio.

A sede da Proae fica localizada no Campus Santo Antônio, em São João del-Rei. Contatos também podem ser feitos pelo e-mail proae@ufsj.edu.br e telefone (32) 3379-5936

SPA

O Serviço de Psicologia Aplicada (SPA) é um serviço do Departamento de Psicologia da UFSJ cujo objetivo é promover a saúde mental das pessoas cadastradas. O serviço é aberto aos estudantes da UFSJ e à comunidade de São João del-Rei. Todo cidadão interessado em atendimento público gratuito pode se cadastrar no serviço e aguardar em uma fila de espera para o atendimento.

Centro de Valorização da Vida (CVV)

Além do apoio da UFSJ, qualquer pessoa pode acessar o Centro de Valorização da Vida (CVV), que promove apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Qualquer pessoa pode conversar com um voluntário do CVV ligando para 188, ou ainda entrar em contato por e-mail e chat: www.cvv.org.br. O atendimento é 24 horas.

Em casos de urgência, procure unidades de pronto-atendimento, assistentes sociais, enfermeiros, médicos e psicólogos da instituição, da rede de saúde pública ou privada.

Uma pessoa a cada 45 segundos

O suicídio é considerado um problema de saúde pública e mata um brasileiro a cada 45 minutos e uma pessoa a cada 45 segundos em todo o mundo. Pelos números oficiais, são 32 brasileiros mortos por dia, taxa superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. A esperança é o fato de que, segundo a Organização Mundial da Saúde, nove em cada dez casos poderiam ser prevenidos.

Informe-se sobre o suicídio. A seguir, saiba algumas características desse problema

Sinais de alerta
- comportamento retraído, com dificuldades severas de se relacionar
- transtornos psiquiátricos
- abuso de álcool e/ou outras drogas
- perda da autoestima
- histórico familiar de suicídio
- tentativas anteriores de suicídio
- sentimentos de solidão, apatia, impotência
- cartas de despedida, desejo súbito de escrever testamento, concluir pendências pessoais
- idealização da morte como fim do sofrimento ou solução para seus problemas

Alguns fatores associados ao suicídio
- Transtornos mentais: transtornos de humor (ex.: depressão), transtornos por abuso de álcool e/ou outras drogas, transtornos de personalidade, esquizofrenia
- Psicológicos: impulsividade, agressividade, humor instável, vivências de afetos intoleráveis (angústia, desespero, abandono, humilhação, vergonha, sensação de fracasso etc.)
- Sociodemográficos: maior prevalência entre o sexo masculino, pessoas entre 15 e 35 anos e acima de 65, pobreza ou riqueza extremas, pessoas que moram em áreas urbanas, desemprego recente ou endividamento, aposentados
- Condições clínicas: doenças orgânicas incapacitantes, dor crônica intensa, lesões desfigurantes, epilepsia, câncer e AIDS

Aspectos psicológicos
Há três características frequentes na maioria das pessoas que tentam suicídio:
- Ambivalência: quase sempre querem, ao mesmo tempo, alcançar a morte e viver
- Impulsividade: o suicídio pode ser um ato impulsivo e desproporcional desencadeado por eventos negativos do dia a dia
- Rigidez: pensamento extremista, que encara as situações de forma rígida e drástica (“tudo ou nada”) e vê o suicídio como única solução

Frases de alerta
“Eu preferia estar morto!”
“Não há mais nada que eu possa fazer!”
“Eu não aguento mais!”
“Eu sou um fracasso e um peso na vida dos outros!”
“Os outros serão mais felizes sem mim!”

Sentimentos a serem observados
4Ds: Depressão, Desesperança, Desamparo, Desespero

Mitos
“Falar sobre suicídio pode aumentar as chances que ele ocorra”
“Ele está ameaçando suicídio apenas para manipular e chamar a atenção”
“Quem quer se matar, não avisa”
“O suicídio é um ato de covardia (ou de coragem)”
“Quem quer se matar, se mata mesmo, não fica nas tentativas”

Como ajudar
- faça uma abordagem calma, aberta, de aceitação e não julgamento que facilite a comunicação
- ouça com interesse e respeito
- tenha empatia com as emoções e com o sofrimento da pessoa
- encoraje-a a procurar ajuda especializada

O que não fazer
- julgar a pessoa
- ignorar a situação
- tentar se livrar do problema
- desafiar a pessoa a dar prosseguimento ao seu plano suicida
- minimizar a dor da pessoa e dizer que é bobagem
- jurar segredo e não avisar alguém próximo à pessoa sobre o risco de suicídio
- deixar a pessoa sozinha 


Publicada em 10/09/2018
Fonte: ASCOM

 Voltar