Universidade e Apac: uma relação de sororidade

Projeto de extensão Delas - Comunicar para Empoderar prepara série de minidocumentários sobre a realidade da Apac Feminina de São João del-Rei

Apac São João del-Rei. Foto: Mariana Ribeiro/Jornal Delas

Sororidade é o fortalecimento de laços entre mulheres que proporciona uma relação de proteção e amizade. É essa a palavra que combate o revanchismo entre mulheres criado pelo sistema patriarcal e que também inspirou as estudantes participantes do projeto de extensão Delas - Comunicar para Empoderar em sua parceria com a Associação de Proteção ao Condenado (Apac) de São João del-Rei. 

A relação entre o Delas e a Apac Feminina teve início com a Percebe-te, oficina de fotografia que procurava empoderar as detentas pela oferta de conhecimento técnico sobre fotografia, com foco no reconhecimento da própria beleza. “Enquanto a oficina acontecia, algumas recuperandas pediram que a gente voltasse, porque queriam contar suas histórias”, relembra a bolsista do projeto, Mariana Tirelli. A partir desse primeiro contato, amadurecido nas visitas realizadas no segundo semestre do ano passado, a equipe Delas optou pelo audiovisual para narrar a realidade daquelas mulheres. As gravações terão início em breve. “Nunca fui à Apac e voltei da mesma forma. Eu sempre volto com um pouquinho mais de consciência do outro, de percepção do outro, do que é a realidade do outro. Isso é muito importante”, completa.

Para Mariana Tirelli, é fundamental, em se tratando de uma atividade extensionista, levar o conhecimento obtido em sala de aula para mulheres que ocupam as margens: “Na Universidade, temos acesso a uma série de privilégios, como a fundamentação do pensamento crítico, que nos capacita para o debate. Mulheres apenadas não têm privilégio semelhante”, analisa.

Nesse ambiente propício às trocas de saberes, o Delas vai acompanhar uma ação promovida pela própria Apac: o Miss Prisional. O concurso está marcado para o dia 27 de setembro, e tem o objetivo de valorizar diferentes corpos, como explica a coordenadora da Associação, Lavínia Miranda: “Não será exigido nenhum padrão de beleza, como nos desfiles comuns. Qualquer recuperanda pode participar, o que é o mais fantástico, porque realmente mostramos a elas que é perfeitamente viável desconstruir o padrão de beleza magra-alta-cabelo liso.”

O Miss Prisional exemplifica a continuidade de uma série de ações desenvolvidas pela Apac em prol do empoderamento feminino: palestras, rodas de conversas, minicursos de automaquiagem e maquiagem básica, e encontros de espiritualidade feminina, tudo para levar às detentas uma perspectiva de vida singular: “A mulher pensa em tudo. Ela está aqui dentro, mas pensando no filho que está lá fora. É ela quem ajuda a resolver os problemas da família. Ou seja: mergulhada em preocupações, nunca está aqui inteira para receber tudo que o método Apac tem a oferecer”, declara Lavínia.

A vencedora da etapa municipal do certame passará pelas etapas regional e nacional. Parte de um programa humanizado proposto pelo Sistema Apac, o Miss Prisional favorece a valorização de corpos femininos constantemente marginalizados. A recuperanda Eliete de Cavalcanti valoriza propostas como o concurso de beleza: “É um fortalecimento. Apesar de estarmos aqui cumprindo pena, não deixamos de viver muitas coisas que poderiam estar sendo barradas se estivéssemos no sistema prisional comum”.

Um veículo delas

Criado na disciplina de Planejamento Visual Gráfico do curso de Jornalismo da UFSJ, o Jornal Delas é um veículo de comunicação de cunho feminista que procura empoderar mulheres por meio da informação.

Atualmente, é um dos projetos de extensão da Universidade e envolve quatro editoras e quatro repórteres. “Os projetos de extensão têm justamente essa função, de fazer a ligação entre o academicismo e a comunidade. Por isso, é um privilégio a gente poder fomentar discussões com mulheres que cumprem pena - conhecer a realidade delas nos torna mais empáticas” , afirma Mariana Tirelli.

Além das matérias e colunas publicadas periodicamente no site do jornal, a equipe Delas realiza intervenções, oficinas e exposições voltadas para o público feminino. Também é possível conferir o conteúdo produzido pelas estudantes em suas páginas no facebook, Instagram e flickr


Publicada em 13/09/2018
Fonte: ASCOM

 Voltar