MEC pretende liberar recurso para federais que não têm hospitais próprios

De acordo com o Jornal Folha de São Paulo, em sua edição do último dia 20, o Ministério da Educação (MEC) pretende desembolsar cerca de R$ 100 milhões por ano para garantir que 42 instituições federais que não têm hospitais próprios possam contratar Centros Médicos privados, incluindo as Santas Casas, para garantir a formação dos estudantes de Medicina.

De acordo com o assessor especial da Reitoria da UFSJ, que trata do Desenvolvimento do Ensino de Saúde, Rodrigo Penha, professor do Departamento de Medicina (Demed), por enquanto, o Ministério da Educação (MEC) e a Associação Nacional de Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) não fizeram nenhum comunicado oficial da medida. “Ainda não recebemos um documento oficial por parte do Ministério da Educação. A Andifes conseguiu um espaço de negociação com o MEC, por meio da Ebserh, cujo presidente se mostrou sensível ao tema das Universidades Federais com escolas de medicina sem Hospital Universitário”, afirma Penha. Diante das indefinições até o momento, o assessor da UFSJ ainda não sabe exatamente quanto a universidade deverá receber.

Ebserh e negociação

Ainda de acordo com a matéria da Folha, o MEC emitirá, até o final do ano, uma portaria que irá “disciplinar” a liberação dos recursos a partir de 2020. A Folha informa também que a proposta foi feita pela Ebserh, empresa vinculada ao MEC e que faz o gerenciamento dos hospitais universitários. Atualmente sob o comando do general Oswaldo Ferreira, a Ebserh administra uma rede de 40 hospitais em todas as regiões do país.

Para se chegar a esta solução, de repasse anual dos recursos, foram feitas discussões entre a Ebserh e a Andifes, por meio do seu Grupo de Universidades sem Hospitais, coordenado pelo reitor da UFSJ, Sérgio da Gama Cerqueira, e o reitor da Federal de Alfenas (Unifal), Sandro Amaral Cerveira, que apresentaram proposta considerada pela Ebserh uma alternativa mais econômica para o Governo Federal.


Publicada em 07/11/2019
Fonte: ASCOM

 Voltar