Plataforma desenvolvida pela UFSJ calcula demanda de leitos durante a pandemia

Em meio à pandemia de Covid-19, o risco de colapso da rede pública de saúde é uma das principais preocupações. Isso se justifica não pelo índice de mortalidade da doença, mas pelas altas taxas de internação. 
 
Com isso em mente, um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), em parceria com o Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais - campus São João del-Rei, desenvolveu uma plataforma chamada Covid-19, que apresenta panoramas hipotéticos dos efeitos da pandemia em cada uma das mais de cinco mil cidades do País. 
 
Esse trabalho é fruto da aplicação de um estudo desenvolvido na Imperial College of London. Um dos cientistas envolvidos no projeto, o professor Anderson Latini, explica que os pesquisadores utilizaram como base as estimativas populacionais do IBGE para criar um banco de dados “modelado por engenharia reversa, validado pelo processo de normatização do modelo relacional, com a finalidade abrigar os dados que definem todos os municípios”. 
 
Além disso, a plataforma armazena as regras do modelo para prospectar respostas para dois cenários de supressão selecionados, como previstos no estudo inglês. “Foram considerados dois diferentes momentos de isolamento social de 75% da população: um cenário de resposta rápida e outro de resposta tardia”, explica o professor. 
 
Por meio de uma interface em HTML e através de um serviço em PHP com um mecanismo de recuperação de dados, chegou-se ao resultado apresentado. Veja, ao final do texto, o exemplo de São João del-Rei.
 
Para aplicar a pesquisa à realidade brasileira, foi necessário considerar variáveis como o clima local e a densidade populacional. No entanto, conta Anderson, aspectos como a pirâmide etária, padrões de contato, tamanho de famílias, capacidade hospitalar, probabilidade de ocorrência de infecções secundárias, nível de isolamento e de isolamento dos mais idosos foram consideradas. O estudo não discrimina os leitos hospitalares das redes pública e privada: “A resposta da base de dados trata de uma prospecção de necessidade de atendimento hospitalar exigida pela presença de Covid-19”, explica.
 
Especificamente a respeito de São João del-Rei, o professor ressalta que a cidade pôs em prática o isolamento social antes mesmo da primeira morte oficial ser registrada. Por isso, o estudo prevê que a cidade necessitará de 24 leitos de UTI, sendo que, no pico da pandemia, seis deles serão utilizados simultaneamente. É importante frisar que trata-se de uma estimativa, não de uma verdade absoluta. “Mas, assim como modelos de clima, de economia e de crescimento populacional merecem e têm nosso respeito no dia a dia, tal modelo também merece respeito”, avalia o professor Anderson Latini. 
 
 
 


Publicada em 24/04/2020
Fonte: ASCOM

 Voltar