Qual equipamento comprar com o auxílio inclusão digital?

A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proae) realizou nesta quarta, 2, o pagamento do Auxílio Inclusão Digital para os alunos que tiveram as solicitações deferidas no primeiro resultado parcial. Com R$ 2 mil em conta, cerca de 500 estudantes precisam saber agora qual equipamento é possível adquirir, para que possam acompanhar as atividades acadêmicas remotamente.

O professor Marcello Angotti, do Departamento de Ciências Administrativas e Contábeis da UFSJ (Decac), especializado em finanças pessoais, realizou um levantamento para auxiliar os alunos nesta decisão. “Com a disparada do dólar em 2020, e o aumento da demanda por conta do trabalho remoto, o preço de desktops e notebooks aumentou expressivamente, mas ainda é possível encontrar algumas opções não muito caras”, afirma.

Marcello chama a atenção para os aspectos mais importantes que devem ser considerados no momento da compra, levando-se em conta que as atividades variam entre os usuários. Para quem trabalha com softwares como os pacotes Office (Word, Excel, Power Point), não é preciso equipamentos de alto desempenho. Por outro lado, edições de vídeo/áudio e games requerem configurações mais robustas. Segundo o professor, também é possível fazer upgrades no hardware: “Algumas modificações podem ser realizadas no computador sem assistência técnica, são relativamente baratas e melhoram muito a performance. A substituição do HD por um modelo SSD, e o acréscimo de memória Ram, podem ser feitos por pouco mais de R$ 150 cada.”

É importante estar atento a um item de extrema importância na escolha do equipamento: o processador. Marcello sugere que “a primeira opção não seja um computador equipado com Celerom ou Atom. Com pouco mais de R$ 2 mil, é possível encontrar AMD Ryzen 3, Intel Core i3, Intel Gold.” Neste link, é possível fazer essa comparação, e neste vídeo, pesquisar mais sobre o assunto.

Outra questão é avaliar o sistema operacional que o estudante pretende usar: Windows 10 ou as várias versões do Linux. É possível migrar para as ótimas versões do Linux (como Ubuntu, Mandriva ou Fedora), que possuem interface muito similar e amigável, e que reduzirão o custo do notebook. “Todavia, não são todos os softwares que funcionam no Linux. Caso faça questão do Windows, é aconselhável comprar um notebook que já tenha esse sistema instalado (OEM), para evitar problemas futuros.”

Mais dicas
Pesquise os preços antes de efetuar a compra. É possível verificar o histórico de preços, o que permite acompanhar a variação do valor nos últimos meses e saber se você está comprando por um bom preço. Não se limite a um buscador; na internet, os preços são dinâmicos. E vale sempre verificar a confiabilidade do vendedor. A seguir, listamos alguns endereços úteis para essa tomada de decisão:

Buscadores
Zoom: www.zoom.com.br
Google Shopping: http://www.google.com/shopping
Buscapé: www.buscape.com.br

Como verificar a confiabilidade do vendedor
https://canaltech.com.br/video/canaltech-responde/como-fazer-compras-pela-internet-com-seguranca-11261/

Configurações indicadas para compra com R$ 2 mil
Preços encontrados em sites de compras na internet e que podem sofrer alterações

Desktop
Intel i3, HD 500GB, 4GB Ram, Windows 10 - a partir de R$ 1.500
Monitor 18,5” - a partir de R$ 400
Teclado e mouse wireless - a partir de R$ 100

Notebooks
Lenovo S145: Celerom N4000, HD500GB, 4GB Ram, tela 14” - a partir de R$ 2.000
Positivo: Intel Core i3, 4GB, 64GB eMMC + 1TB, Win 10, Tela 14” - R$ 2.480


Publicada em 04/09/2020
Fonte: ASCOM

 Voltar