Ciclo prévio do Artes Vertentes debate racismo no Brasil

O quinto encontro do Ciclo Pororoca promove, nesta terça, 13, uma reflexão sobre como a arte constrói formas de questionar estruturas perversas, desde os discursos centenários que criaram um imaginário na sociedade brasileira ao genocídio da juventude negra nos centros urbanos.

A performer Lucimélia Romão, aluna de Teatro na UFSJ, e a arte-educadora e curadora Elidayana Alexandrino discutem o racismo estrutural e institucional no país, a partir da performance-instalação Mil litros de preto (que integrará a programação da 9ª edição do Festival Artes Vertentes), e da confrontação com imagens que permeiam o nosso cotidiano e a história da arte.

A transmissão pode ser conferida no canal do Artes Vertentes no YouTube, com mediação de Luiz Gustavo Carvalho.


Publicada em 13/10/2020
Fonte: ASCOM

 Voltar