2021: ano letivo na UFSJ será remoto

Reunido no último dia 25, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Conep) aprovou resolução que trata dos dois próximos períodos letivos na UFSJ para o ano de 2021. O início do primeiro semestre está marcado para o dia 17 de maio, e o segundo, para 13 de setembro, tendo cada semestre a duração de 14 semanas. A íntegra da Resolução 004/2021, que entra em vigor em 18 de abril, está disponível neste link.

A nova legislação determina que a inscrição em unidades curriculares (disciplinas) a partir do primeiro semestre deste ano será facultada aos estudantes regularmente matriculados na UFSJ, enquanto durar a emergência na saúde pública por causa da Covid-19. Com a resolução, tornaram-se equivalentes os períodos de Ensino Remoto Emergencial (ERE) 1 e 2, ofertados segundo a resolução Conep 007/2020, aos semestres acadêmicos de 2020/1 e 2020/2.

A resolução trata também das formas de ensino possíveis - remota, híbrida e presencial. O texto deixa claro que atividades presenciais, sejam no formato híbrido ou integralmente presencial, só poderão ser realizadas em condições de segurança para a comunidade acadêmica e cumprindo as resoluções do Conselho Universitário que tratem da matéria.

Os colegiados de curso deverão manter a oferta das unidades curriculares na forma remota, mesmo com a autorização de ensino presencial, a fim de melhor organização da grade horária do curso, enquanto durar a situação de emergência de saúde pública decorrente da Covid-19.

Relatoria
O assunto foi relatado no Conep pelo professor Rafael Russo Chagas (CCO). A edição dessa nova resolução foi necessária, uma vez que a Resolução 007/2020 estabelecia apenas dois períodos emergenciais, que terminam em 17 de abril, sem previsão do que aconteceria a partir desta data.

Rafael entende que a comunidade acadêmica deve estar atenta ao fato de que “as unidades curriculares que serão ofertadas nos períodos de 2021 continuarão a ser oferecidas de forma remota até que o Conselho Universitário aprove resoluções para o retorno gradual e seguro às atividades presenciais.”

Segundo o relator, a proposta foi construída e amplamente discutida pelos conselheiros, tendo em vista a preservação da vida, da saúde e do bem-estar da comunidade acadêmica. “Procuramos resolver da melhor maneira possível os problemas verificados durante os dois períodos emergenciais, sempre respeitando os princípios democráticos e as resoluções vigentes”, afirma Rafael.
 


Publicada em 29/03/2021
Fonte: ASCOM

 Voltar