Congresso de Comunicação das Vertentes: avaliação positiva

Na sexta, 25, encerrou-se o I Congresso de Comunicação do Campo das Vertentes, evento on-line promovido pelo Departamento de Comunicação Social da UFSJ (Dcoms). Durante dois dias intensos de atividades, a primeira edição do Comunica Vertentes mobilizou quase 300 congressistas, que apresentaram seus trabalhos acadêmicos em 10 sessões temáticas.

Para o professor Luiz Ademir de Oliveira, que respondeu pela coordenação geral do evento, “a avaliação é muito positiva.” Há muito o que comemorar: “Tivemos a participação maciça dos alunos de graduação da UFSJ, e da pós, tanto de nossa Universidade, como da UFJF e de outras instituições”, pontua o docente.

Um dos participantes externos foi Alan Milhomem, ligado ao Grupo de Pesquisa em Jornalismo e Multimídia da Universidade Federal do Tocantins. Para ele, foi um Congresso excelente. “Pude conhecer trabalhos desenvolvidos pelos alunos da UFSJ e de outras universidades, numa troca de conhecimentos bem proveitosa durante os grupos de trabalho”, declara.

O objetivo, segundo Luiz Ademir, era justamente este: fortalecer o intercâmbio e a interlocução entre graduação e outros níveis de pesquisa, “porque acreditamos que o conhecimento precisa ser socializado e, na graduação, os alunos já estão produzindo pesquisas de qualidade.” No curso de Jornalismo da UFSJ, há mais de 20 estudantes participando de projetos de iniciação científica. “Muitos, depois, ingressarão em programas de mestrado e doutorado. Mesmo os que forem para o mercado, terão uma visão mais crítica a partir desse olhar que concilia teoria e prática”, analisa o coordenador do Comunica Vertentes.

Oficinas, mesas e trabalhos
A programação do Congresso – cujo tema geral foi Mídia e disputas de narrativa em tempos de pandemia – constituiu-se por oficinas, ministradas por profissionais experientes em suas respectivas áreas de pesquisa, mesas de debates com jornalistas e acadêmicos, e apresentações nos GTs.

Luiz Ademir reforça a relevância de espaços que promovam reflexões críticas e criativas sobre pandemia, política e comunicação. “O Congresso é o momento de debater e também de mostrar que as universidades não estão paradas. Estamos há mais de um ano trabalhando muito, produzindo pesquisas, produzindo conhecimento”, defende. “ Porque somos resistência, mesmo com os ataques que sofremos, o corte de bolsas, a hostilidade às nossas áreas de Humanas e Ciências Sociais.”

A Comissão Organizadora do I Congresso de Comunicação do Campo das Vertentes contou com a participação de egressos da UFSJ que, atualmente, fazem pós-graduação em diferentes instituições nacionais de ensino: Arthur Raposo Gomes, Mayra Regina Coimbra, Mariane Motta de Campos e Willian José de Carvalho; da ex-aluna e atual professora no curso de Jornalismo, Deborah Vieira; da ex-professora Marina Alvarenga Botelho; e de alunos da graduação: Lara Aquino, Larissa Leite Lima, Leonardo Emerson e Wellington Oliveira.

Próximos eventos
Encerrada essa primeira edição, Luiz Ademir revela a expectativa para futuros eventos. “Para 2022, estamos programando o II Simpósio Nacional de Comunicação Política, Campanha Permanente e Eleições, parceria da UFSJ com os programas de Pós-Graduação em Comunicação da UFJF e da Universidade Paulista (Unip)”, adianta.

Outra possibilidade é a de realizar conjuntamente o II Congresso de Comunicação do Campo das Vertentes, estendendo sua duração para três ou quatro dias, o que ampliaria a participação de pesquisadores, da iniciação científica à pós-graduação.

Ainda está prevista a publicação de dois e-books, a serem produzidos pela Comissão Organizadora, reunindo os trabalhos submetidos ao evento.

As conferências do I Congresso podem ser revistas nos seguintes links:
Abertura – https://www.youtube.com/watch?v=Ghe2dVfr7PA
Encerramento – https://www.youtube.com/watch?v=y5WFk5pAUPY


Publicada em 01/07/2021
Fonte: ASCOM

 Voltar