Conselho Diretor aprova proposta orçamentária 2021

A proposta orçamentária da UFSJ foi aprovada pelo Conselho Diretor (Condi), no dia 7 de julho. O documento é uma determinação legal que apresenta como serão aplicados os recursos destinados à Universidade no decorrer do ano. O professor Pablo Luiz Martins foi responsável pela relatoria do processo que, além de outras observações, sugeriu a disponibilização dos dados no site da Pplan, com intuito de dar mais transparência às informações. A Pró-Reitoria elogiou a ideia e, a partir de agora, para acessar o conteúdo basta clicar neste link.

Pablo Martins destacou o cumprimento da Resolução nº 005 do Condi, que estabelece prioridade de investimentos para a atividade-fim, representada pelo tripé pesquisa, ensino e extensão, para a qual serão destinados 96% dos recursos. O relator pontuou ainda sobre a redução de 5,57% no orçamento 2021, em comparação ao ano anterior, além do contingenciamento de recursos. “Diante desse cenário, manifestei minha preocupação quanto ao equilíbrio das contas da instituição, uma vez que, em um contexto de funcionamento presencial da Universidade, poderia impactar ações futuras, como o pagamento de bolsas e realização de manutenções”, complementa.

O pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento, Renato da Silva Vieira, salientou que, ao apresentar o documento ao Conselho Diretor, é possível dar ciência e transparência à aplicação de recursos da UFSJ. “A proposta é elaborada pela Pplan e, durante a apreciação do Condi, é dada à comunidade acadêmica a oportunidade de colocar seus pontos de vista, sendo realizadas alterações e realocações de investimentos que os conselheiros considerarem necessárias.”

Em relação ao contingenciamento, Renato Vieira explica que, de acordo com o Governo Federal, o desbloqueio de recursos está condicionado à arrecadação do Estado. “Estamos otimistas para que haja a liberação deste montante até o final do ano”, ressalta. O pró-reitor esclarece ainda que a proposta foi apresentada ao Conselho Diretor somente em julho, devido ao atraso na aprovação da Lei Orçamentária Anual da União (LOA).


Publicada em 16/07/2021
Fonte: ASCOM

 Voltar