Projeto PrOVIDa conclui atividades e comemora sucesso das ações

O projeto PrOVIDa encerrou as atividades contabilizando resultados positivos durante os 20 meses de atuação. Desenvolvidas em Divinópolis, as ações incluíram a capacitação de equipes de saúde, assistência clínica e monitoramento remoto de pacientes. O projeto foi implementado por meio da parceria entre a Universidade Federal de São João del-Rei (Campus Centro-Oeste Dona Lindu), o Centro de Telessaúde da Universidade Federal de Minas Gerais e a Secretaria Municipal de Saúde de Divinópolis.

Para o coordenador do projeto, professor Gustavo Machado Rocha, o PrOVIDa promoveu um apoio significativo à população de Divinópolis durante a pandemia, contribuindo ainda para estreitar o relacionamento da UFSJ com diversas frentes do município. “Além da importante atuação em prol da saúde das pessoas e do enfrentamento ao novo coronavírus, o projeto mostrou o potencial da Universidade como uma importante e qualificada prestadora de serviços para a sociedade, passando a ser reconhecida pelas suas ações junto à comunidade divinopolitana.”

Acompanhamento atencioso
De abril de 2020 a novembro de 2021, foram uma série de ações voltadas à atenção e educação em saúde para enfrentamento à covid-19. Entre as frentes de trabalho foi lançado o TeleCOVID – Sistema de Teleassistência e Telemonitoramento para casos suspeitos ou confirmados de infecção. Ao todo, mais de 13 mil pacientes foram acompanhados pelo projeto, totalizando mais de 61 mil atendimentos somente no município de Divinópolis.

Os trabalhos envolveram uma equipe da UFSJ composta por 13 docentes do curso de Medicina, sete docentes do curso de Enfermagem, cinco colaboradores (enfermeiras, egressos e estudantes de pós-graduação), 49 alunos do curso de Medicina e dois técnicos de apoio do Campus. O grupo contou ainda com 28 profissionais da UFMG, sendo 12 médicos, 13 enfermeiros, dois técnicos de apoio e um gestor de campo.

De acordo com o professor Gustavo Rocha, 95% das pessoas atendidas pelo TeleCOVID não precisaram passar por atendimento presencial nas unidades de saúde do município, recebendo toda a assistência necessária pelos profissionais do projeto. “Especialmente em momentos de alta demanda de consultas, o projeto foi fundamental para que todos os pacientes pudessem ser adequadamente avaliados, evitando assim a desassistência, como ocorreu em outros locais do país. O teleatendimento colaborou ainda para reduzir o deslocamento de pessoas para os postos de saúde, evitando a circulação de pacientes e contribuindo para diminuir os riscos de contaminação”, completou.

Segundo o coordenador, as atividades do projeto foram encerradas devido à queda na demanda pelos atendimentos. “Uma equipe de plantão foi disponibilizada para realizar os atendimentos e, com a redução dos casos, a procura pelo TeleCOVID também caiu. Consideramos que a iniciativa foi um sucesso e conseguiu atingir seu objetivo de colaborar com as ações de enfrentamento à pandemia. Devido ao resultado positivo, nesse momento estudamos formas de viabilizar a utilização da plataforma e da estrutura de teleatendimento em outros contextos”, concluiu.

Qualificação de profissionais
A primeira etapa do projeto, ocorrida nos meses de abril e maio de 2020, promoveu ainda a capacitação de 332 profissionais que atuam nas Unidades de Atenção Primária à Saúde de Divinópolis. O treinamento foi ministrado em todas as 44 unidades básicas de saúde do município, levando conhecimento para equipes urbanas e rurais. “Durante a capacitação, os profissionais tiveram acesso a conteúdo completo e simulações voltados a prepará-los para realizar o atendimento inicial e manejo dos pacientes com quadro suspeito de covid-19”, explica o professor Gustavo Rocha, que também é médico infectologista e participa do Comitê municipal de enfrentamento à pandemia e participa efetivamente da elaboração dos protocolos locais de manejo clínico da covid-19.


Publicada em 15/12/2021
Fonte: ASCOM

 Voltar