Voltar

 

No início dos anos 90, em um levantamento realizado pela Coordenação da então Licenciatura Curta de Ciências da UFSJ, constatou-se a deficiência regional de professores com licenciatura plena nas áreas de Física, Química, Biologia e Matemática, a qual apresentava-se mais acentuada no caso das duas primeiras. Então, a partir de 1992, começaram a funcionar, no âmbito do Curso de Ciências, as habilitações em Física e em Química. Assim, de 1992 a 1998,  a duração do curso da Licenciatura Curta em Ciências  era de três anos,  com uma complementação de dois anos para realização da Licenciatura Plena em Física e em Química. Dessa maneira, a estrutura curricular dos três primeiros anos estava articulada com dois objetivos: formar o Professor de Ciências para o Ensino Fundamental e prepará-lo para os cursos de Licenciatura Plena em Física e em Química.

Em decorrência da extinção das licenciaturas curtas, a partir da aprovação da Lei 9.394/96, e em conformidade com os pareceres e resoluções do Conselho Nacional de Educação, referentes à estrutura e diretrizes das licenciaturas, as discussões realizadas entre os docentes das áreas de Física e de Química do Departamento de Ciências Naturais (DCNAT) da UFSJ propiciaram a estruturação de novos currículos para a formação de professores de Física e de Química para a Escola Básica. 

Assim, a partir do processo seletivo de vestibular da UFSJ de 2002, a Física já aparece como opção discriminada para os interessados em cursar um curso superior, para a qual são oferecidas 25 vagas por ano.   Como curso noturno, atendeu-se a uma clientela ampla, que incluia ajovens trabalhadores em busca de uma formação profissional de nível superior. 
 
Finalmente, com o Programa de Restruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI), o DCNAT passou a oferecer também o curso de Bacharelado em Física, no regime integral, com 25 vagas por ano desde 2009, e paralelo a isso, reestruturou o Projeto Pedagógico do curso da Licenciatura em Física. Dessa forma, atualmente, a UFSJ oferece os cursos de Licenciatura em Física, no regime noturno, e o de Bacharelado em Física, com ênfase em programação computacional, no regime integral, cada um com 25 vagas anuais.