Histórico


Desde seus tempos de fundação a UFSJ já assumia como eixos centrais de suas atividades fins a indissociabilidade entre as atividades de ensino, pesquisa e extensão. Essas atividades são exigências legais para que uma instituição de ensino superior possa fazer uso do meritório título de Universidade, conforme a Constituição Federal em seu art.207, a LDB 9394/96 em seu art.52 e seguintes e a Resolução do CNE/CES n.2 de 7 de abril de 1998, que assinalam que uma universidade deve cumprir atividades de pesquisa e de produção institucionalizada para fins de credenciamento e da prestação de serviço público de alta qualidade.
Consolidados os cursos de graduação, a partir de 1998 a Instituição elegeu como metas prioritárias no seu Plano Estratégico de Desenvolvimento Institucional (PEDI), a expansão da qualificação de seu quadro docente em nível de doutorado, a formação e a fixação de grupos de pesquisa, a partir da expansão da pós-graduação lato sensu a qual serviria como momento prévio de uma implantação da pós stricto sensu. Apesar de cumprir o que a LDB prescreve em seu art. 52. II, a instituição persegue uma excelência de modo a haver pesquisa no conjunto institucional e de conseguir uma articulação entre a Graduação e a Pós-Graduação. A UFSJ está entre as instituições que têm investido firmemente em qualificação docente, capacitando-se, cada vez mais, para ampliar sua autonomia na produção de conhecimentos, sua socialização no ensino e extensão para a comunidade.
Em um quadro de contínua expansão e fortalecimento da pesquisa na UFSJ, o Departamento de Ciências da Educação (DECED), que abriga o Programa de Mestrado, conta atualmente com o grupo de pesquisa - Grupo multidisciplinar de pesquisa em Fundamentos da Prática Educativa, FUPE, constituído em 2002, coordenado pelo professor Dr. Écio Antônio Portes. Nove cursos de graduação da UFSJ estão diretamente envolvidos com a formação de professores, o que faz do FUPE um grupo de relevância para as licenciaturas, à medida que se firma como instância crítica que desenvolve reflexões e pesquisas em educação, como se pode ver pela produção que acompanha os Programas de Pesquisas sob a responsabilidade dos professores/pesquisadores que compõem o corpo docente do programa. Ressalte-se, ainda, o envolvimento de professores/pesquisadores do FUPE com projetos voltados para a grande demanda social por formação continuada de professores (PROEXT e Extracampus), além da participação em atividades do curso de Pedagogia, voltadas para a pesquisa da educação em espaços extra-escolares.
Além do envolvimento com o FUPE, alguns componentes do grupo participam ativamente de grupos de pesquisa ligados a outras instituições no Brasil e nos Estados Unidos: o prof. Dr. Carlos Henrique de Souza Gerken é participante do Grupo de Educação Indígena, coordenado pela profa. Dra. Ana Maria Rabelo Gomes, da FAE/UFMG; o Prof. Dr. Écio Antônio Portes é pesquisador filiado ao Observatório Sociológico Família e Escola, OSFE- coordenado pela profa. Dra. Maria Alice Nogueira, da FAE/UFMG; a professora Dra. Marise Rocha Santana, colaboradora do Programa, participa do laboratório de pesquisa vinculado à Faculdade de Educação da UFRJ, como integrante do Grupo de pesquisa em Educação Ambiental (GEA-UFRJ) coordenado pela professora Speranza Franca da Mata; os professores Dra. Maria do Socorro Alencar Nunes Macedo e Dr. Murilo Cruz Leal são membros do grupo Linguagem, Cultura e Cognição em Sala de Aula de Ciências, coordenado pelo prof. Dr. Eduardo Fleury Mortimer, da FAE/UFMG, que também é colaborador do Programa. Além dessas parcerias, a professora Maria do Socorro Alencar Nunes Macedo mantém contatos com a Universidade California - Santa Barbara (USA), por meio das professoras Judith Green e Carol Dixon. O prof. Dr. Laerthe de Moraes Abreu Junior mantém contatos e trocas de experiência em pesquisa com investigadores de Portugal: prof. Dr. Justino Magalhães da Universidade de Lisboa e profª. Drª. Margarida Felgueiras da Universidade do Porto; assim como com a profª. Drª. Maria Cristina Menezes da Faculdade de Educação da UNICAMP.
O DECED conta, também, com outro grupo de pesquisa – Núcleo de Estudos: Corpo, Cultura, Expressão e Linguagens – NECCEL, constituído em 2002 e, atualmente, coordenado pela Professora Drª. Lucia Helena Pena Pereira. Este grupo envolve três professores do Departamento, além da coordenadora: Profs. Dr. Wanderley Cardoso de Oliveira, que faz parte da construção da proposta de Mestrado, o prof. Dr. Kleber Sacramento Adão, que está preparando-se para integrar futuramente a equipe do curso de mestrado, e a Professora Elaine Valéria Rizzuti, afastada para Doutoramento. Dele participam, também, alunos do Curso de Pedagogia, Psicologia e Educação Física. O NECCEL traz à discussão temas que carecem de estudos e reflexões, e que são indissociáveis da prática pedagógica como a corporeidade e as diferentes linguagens. Devido a seu caráter abrangente, se organiza em três linhas de pesquisa que têm contado com o apoio de bolsistas de Iniciação Científica: a) Corpo, ideologia e educação; b) Imagens do corpo; c) Linguagem corporal e expressão na prática pedagógica.
O Departamento de Ciências da Educação conta, ainda, com o NAEB, Núcleo de Apoio à Educação Básica, coordenado pela professora Drª. Maria do Socorro Alencar Nunes Macedo. O NAEB é responsável pela implementação do programa de formação continuada da Região das Vertentes PROEXT 2005/2006. Fazem parte desse Núcleo os professores Murilo Cruz Leal, Lúcia Helena Pena Pereira e Laerthe de Moraes Abreu Junior, professores do Mestrado, além de professores do DCNAT, do DMAT. O PROEXT está no seu terceiro ano de funcionamento e é financiado pelo MEC/SESU, atendendo a 350 professores de escolas municipais das cidades que fazem parte da Associação de Municípios da Região das Vertentes (AMVER).
A proposta de um Programa de Pós-Graduação stricto sensu em educação na UFSJ justifica-se pela vontade de transformar a experiência já adquirida em programas sistemáticos de pós–graduação lato sensu, procurando atender a expectativas criadas pelo Plano Nacional de Pós-Graduação: 2005-2010. Com efeito, faz parte desse Plano tanto a correção de disparidades intra-regionais, quanto o aumento da capacitação do corpo docente do ensino superior. Além disso, o PNPG postula como objetivo da própria pós-graduação nacional “a formação de docentes para todos os níveis de ensino”, conforme grafa também a LDB de 1996 em seu art. 66. Com o corpo de docentes qualificados do DECED e de outros departamentos associados ao Mestrado a UFSJ assume o compromisso com a formação de professores de sua região de abrangência. Neste contexto um mestrado torna-se meio pelo qual se possa aprofundar a formação acadêmica, desenvolver pesquisa em educação e possibilitar crescente envolvimento de estudantes de graduação na pesquisa.
A proposta do Programa de Pós-Graduação em Educação Processos socioeducativos e práticas escolares fundamenta-se em três diretrizes básicas:
a)a necessidade de contribuir para a consolidação de grupos de pesquisa qualificados já existentes na Instituição e que dêem condições para as outras duas diretrizes;
b) a necessidade inadiável de aprimoramento da formação dos docentes que atuam no Ensino Fundamental e Médio;
c) a necessidade de formar profissionais qualificados para o magistério superior, em virtude da demanda crescente de instituições do Ensino Superior no país.

O Programa de Pós-Graduação em Educação Processos socioeducativos e práticas escolares tem por objetivo desenvolver pesquisas e estudos sobre as práticas educativas em contextos escolares e não escolares, considerando-se questões relativas à produção e à circulação de conhecimentos produzidos nesses contextos. Partindo-se do pressuposto de que a educação é um fenômeno complexo e multidimensional é importante, além dos aspectos macros, considerar também os aspectos micros que constituem as práticas educativas. Esses aspectos devem ser compreendidos à luz do contexto sociocultural em que se constituem e como se manifestam na relação teoria e prática.
As práticas educativas e as interações nelas constituídas ocorrem sempre em um contexto permeado por uma multiplicidade de significados que fazem parte de um universo cultural, universo esse nem sempre considerado como objeto de pesquisa de “primeira linha”. Nossa intenção é procurar, no processo de investigação de diferentes fenômenos educativos, não mais simplesmente o reflexo de uma estrutura social ou modo de constituição dessa estrutura, mas também seus aspectos subjetivos e intersubjetivos, como indicam os trabalhos realizados no contexto dos Programas de Pesquisas dos docentes do Programa.
Ao lado da abordagem etnográfica, novas abordagens no campo da sociologia da educação, da história da educação, da filosofia, da psicologia, dos estudos sobre o corpo e dos estudos da linguagem passam a influenciar o movimento de constituição da chamada abordagem sociocultural. Essa conjuntura abre caminho para elaborações e reflexões inovadoras que reconceituam, dentre outras, as noções de objeto, sujeito, processos educativos, teorias e práticas, compreensão e discurso, construindo uma concepção de práticas educativas como fenômeno sociocultural complexo e como espaço de produção e não somente de reprodução das relações entre sujeitos, instituições e sistemas.
 
 
Avaliação CAPES - Quadrienal (Clique aqui)