PROFESSORES E PROJETOS DE PESQUISA


 


Adilson Siqueira
Lattes: http://lattes.cnpq.br/0140391284870531
E-mail : negrados@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO: Ecopoéticas urbanas, performativas e artivistas: narrativas, práticas e ações urbanas sustentáveis sobre o antropoceno e a mudança climática desde o Sul

 

Vinculado ao(s) Grupo(s) de Pesquisa:

  • GTRANS (Grupo Transidisciplinar de Pesquisa em Artes, Culturas e Sustentabilidade

  • GLAD- Grupo de Pesquisa em Artes, Alfabetizacao Territorial

  • Grupo de Estudos em Artes Digitais

  • Grupo de Arte Colaborativa Orchidea (Orchestra of Ideas)

  • Grupo de Estudos e Pesquisas em Educomunicação (GEPEducomufsj),

 

RESUMO:

Projeto transdisciplinar de pesquisa e ação desenvolvido no contexto do ECOLAB -Laboratório de Ecopoéticas do Grupo Transdisciplinar de Pesquisa em Artes, Culturas e Sustentabilidade (GTRANS) que visa desenvolver um arcabouço teórico-prático formado a partir de estudos, publicação de artigos, dissertações, teses desenvolvidos em práticas e pesquisas que configurem uma estratégia transdisciplinar multifacetada, a qual denomino “ecopoética urbana”, de ação sócio-comunitária que tenha a performatividade e o artivismo como propulsores e implementadores de práticas coletivas  contra-hegemônicas, para o desenvolvimento de outras possibilidades epistemológicas, criativas e artísticas, seja em termos espaciais e urbanos, de memórias e de tecnologias que contribuam para uma mudança de atitude sobre a mudança climática, as transformações territoriais e as ações insustentáveis ainda em curso, que resultaram no Antropoceno. Mais especificamente, este projeto visa investigar as possibilidades de ação performática e de intervenção urbana ecopoética existentes nos conflitos espaciais e urbanos, éticos, emocionais, profissionais, psicológicos e legais que envolvem os humanos nas relações interespécies e com a presente cultura de insustentabilidade, de modo a produzir conhecimentos que configurem uma plataforma de lançamento de teorias, ações e práticas transformadoras elaboradas a partir da inter-relação de saberes, técnicas e ações artísticas, ativistas, culturais, sociocomunitárias, ecológicas, urbanas e ambientais, de modo a explorar as possibilidades subjetivas e estéticas de transformação do real para, com isso, propor poéticas (ecopoéticas) do fazer que estejam diretamente relacionadas com a criação de um mundo sustentável mental, climática, ecológica e socialmente tanto em seu processo criativo quanto em relação aos produtos dele advindos, seja nas artes ou nos espaços urbanos e educomunicativos. Para a estruturação dessa plataforma, a proposta é articular e incentivar distintos projetos de pesquisa e ação coletiva numa abordagem que tenha a subversão como tática e que seja simultaneamente somática, cartográfica, performativa, artivista e em prol de um mundo ambiental e socialmente mais justo e sustentável, desde a perspectiva das artes e dos seus componentes simbólicos prenhes de urbanidades e comunicações. No contexto do Programa, tais ações são abordadas no âmbito de duas linhas de pesquisa inter-relacionadas, a saber: linha 1, Processos Criativos, na qual investiga-se a produção de conhecimentos e saberes que levem a poéticas de criação, propondo modos e abordagens estético-operacionais de criar, compreender e agir artivista, cênico, performativo e somático desde a perspectiva urbana, ecosófica e sustentável e; Linha 2, Processo de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade, na qual busca-se desenvolver métodos e metodologias práticas de intervenção no real, conectando transdisciplinarmente propostas de novas formas de agir e de proceder no mundo e no cotidiano das práticas artísticas e de educação transversal, formal e não-formal, tendo o jogo e a performance como fundamentos da ação artivista, coletiva e comunitária.

 

PALAVRAS-CHAVE: Antropoceno. Artivismo. Análise Institucional. Cartografia. Ecopoética. Intervenção Urbana. Performatividade. Pesquisa Somática.  Mudança Climática. Tática.

 

Linhas de pesquisa

Linha 1- Processos Criativos

Linha 2 - Processos de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade

 


Adriana Gomes do Nascimento
Lattes: http://lattes.cnpq.br/8228784095279939
E-mail : adrianan@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

Intervenções efêmeras em contextos urbanos: A ação cultural e artística na transformação da imagem da cidade (IECU).

 

Vinculado ao(s) Grupo(s) de Pesquisa:

1 - Grupo: A.T.A.-UFSJ

1.1 Subgrupo: Maloca - UNILA

 

RESUMO:

Este projeto de pesquisa tem origem nas pesquisas da tese (arte) e (cidade): Ação Cultural e Intervenção Efêmera e no I Seminário Internacional de Intervenções Efêmeras em Contextos Urbanos (2006). Trata-se de projeto que procura articular-se ao ensino e à extensão e às linhas de pesquisa do grupo A.T.A.- UFSJ, às linhas de pesquisa Processos Criativos e Recepção, crítica e experiência: Narrativas Contemporâneas do PIPAUS-UFSJ e às dos grupos de pesquisa LAUS- UFSJ e Maloca-UNILA. Com foco nas intervenções e suas temporalidades, temporariedades, permanências, transitoriedades e efemeridades, investigando modos, tipos e campos da ação e de interação no e com o espaço urbano. Os atores e agentes que podem orientar e sustentar tal debate podem ser localizados tanto em diferentes campos do conhecimento, quanto em saberes populares que estruturam suas bases, tanto em teorias, quanto em práticas. Sua premissa está na e para além da Pesquisa, apoiando-se na programação e discussão de textos, na criação de inter-textos; na organização de seminários/ colóquios e de publicaçöes acerca de temas e debates de interesse do grupo de pesquisa e com a participação em e a organização de eventos.

 

PALAVRAS-CHAVE: ação; contexto; arte; urbanidade; imagem; sustentabilidade.

 

Linhas de Pesquisa:

Linha 1 – Processos Criativos

Linha 3 - Recepção, Crítica e Experiência: Narrativas Contemporâneas

 


Ana Cristina de Lima Pimentel
Lattes: http://lattes.cnpq.br/5783069183051002

E-mail : anapimentel@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

Corpos e Objetos Farmacológicos : Práticas , Fluxos e Espacialidades em busca de saúde.

 

RESUMO

O projeto propõe a investigação das relações entre objetos farmacológicos e corpo em seus fluxos urbanos. A partir da hibridização objeto farmacológico-corpo, analisa-se os fluxos, as espacialidades, as práticas e as subjetividades constitutivas nos territórios através dos quais se opera o regime prescritivo de saúde. O foco da pesquisa é analisar como os trajetos do híbrido corpo-objeto, que se fazem pela orientação da “busca pela saúde”, modificam os modos devida, as próprias concepções de saúde, os espaços urbanos e os sentidos de

“qualidade de vida”, “bem estar” e “bem viver”. Tendo por base autores com distintas abordagens teóricas e metodológicas, como NiKolas Rose, Annemarie Mol, Bruno Latour, Michel Foucault, Adele Clarke, Ludwik Fleck, Christian Laval e Wendy Brown, analisa-se as imbricações entre ciência e política na contemporaneidade naconstituição de uma racionalidade governamental farmaco-política que opera de maneira prescritiva sobre o corpo individual e coletivo. Do ponto de vista metodológico, o projeto adota os seguintes procedimentos: observação, entrevistas, trabalho de campo e análise de documentos. O projeto articula pesquisa, extensão e ensino através de duas propostas tensionais operativas: 1) a experimentação intersubjetiva dos modos de vida farmaco-políticos contemporâneos e análise das maneiras como o corpo orgânico e o corpo da cidadese emolduram pela racionalidade biomedicalizada; 2) a preservação dos modos de pensar e agir “de saúde” locais, que têm sido modificados pelas práticas médicas, sanitárias e farmacologizadas. Deste modo, o projeto contribui para a ampliação de possibilidades de práticas de saúde e modos de vida.

 

PALAVRAS-CHAVE: política de saúde, governo local, biomedicalização

 

Linhas de Pesquisa :

Linha 2 - Processo de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade

Linha 3 - Recepção, Crítica e Experiência: Narrativas Contemporâneas

 


Benedito Anselmo Martins de Oliveira
Lattes: http://lattes.cnpq.br/0562638935094686
E-mail: otideneb@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TITULO: 

Programa de Desenvolvimento da Economia Solidária do Campo das Vertentes em Minas Gerais: as sinergias entre as práticas da ITCP da UFSJ e o desenvolvimento de Políticas Públicas de Economia Solidária.

 

RESUMO

Descrição do projeto: O presente Projeto cumprirá ao mesmo tempo duas grandes demandas do atual momento histórico pelo qual passam a ITCP da UFSJ e o movimento de economia solidária na Região do Campo das Vertentes do Estado de Minas Gerias. Com relação a ITCP, o Projeto vem num momento exato em que estamos necessitando passar por um processo de mudança na nossa metodologia de incubação. Este fenômeno se configurou no tempo em que os empreendimentos por nós acompanhados/assessorados/incubados carecem de tomar formas estruturais diferentes das que até então estávamos acostumados a trabalhar. Antes havia o processo de incubação voltado para uma associação, uma cooperativa, um grupo de ajuda mútua, uma feira de economia solidária, um mutirão, etc.. Agora, pensando em estratégias de sobrevivências e em estratégias de expansão, alguns grupos necessitam mudar suas características originais e se transformarem em novos tipos de empreendimentos. Alguns deles, conforme será detalhado no Projeto, requer  a transformação de uma associação de artesanato em uma associação que ao mesmo tempo, produz e vende artesanato em sua loja, mas também organiza e realiza uma feira semanal e, ainda tiveram de criar um banco onde seus associados vão buscar ajudas financeiras quando se sentem sem recursos. Este tipo de mudança desafiou o nosso fluxo metodológico. E isto desafiou o modo de agir da ITCP da UFSJ. Teremos que passar por um processo de construção de uma nova metodologia que dê conta desta demanda atual. Além disto, uma outra demanda que tem "batido-na-nossa-porta" é a necessidade de incubar redes, consórcios e cadeias de empreendimentos agrupados em diferentes segmentos. Para além disto, também estamos sendo chamados a ajudar na criação de incubadoras. Isto mesmo! Alguns dos municípios com os quais trabalhamos já sugerem que incubemos incubadoras municipais. Com relação ao movimento de economia solidária, a demanda é a compra de novos equipamentos que possam dar sustentação ao crescimento das atividades de alguns dos Empreendimentos que atuam na região. Embora o Proninc em sua chamada anterior já tivesse dado a condição de que isto acontecesse, esta é a primeira vez que vamos poder adquirir equipamentos que serão destinados aos grupos incubados. Este fato esta gerando uma enorme expectativa no movimento de economia solidária, tanto através dos fóruns municipais, quanto do fórum regional, bem como de alguns conselhos que estão estabelecidos em municípios que possuem leis de economia solidária ? e portanto, políticas públicas locais de apoio ao desenvolvimento da economia solidária.Trata-se de um momento ímpar! Trata-se de uma novíssima fase nos impactos do Proninc da vida da ITCP da UFSJ e na dinâmica do movimento de economia solidária do Campo das Vertentes do Estado de Minas Gerais.

Linhas de pesquisa :

Linha 2 - Processo de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade

Linha 3 - Recepção, Crítica e Experiência: Narrativas Contemporâneas


 


Bezamat de Souza Neto
Lattes: http://lattes.cnpq.br/8764436041780217
E-mail: bezamat@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

Viradores e Virações: Repertório de Disposições e aA Gestão Ordinária na Invenção do Cotidiano

 

RESUMO:

Projeto transdisciplinar de pesquisa e ação desenvolvido no campo dos estudos organizacionais com o objetivo de entender o cotidiano do Homem comum que administra negócios ordinários – “a gestão ordinária”, aquela que foge aos parâmetros gerencialistas ao focar o cotidiano desse Homem comum. O cotidiano do pequeno empreendedor, negociante familiar e/ou outros, com suas relações sociais estabelecidas, sua forma de organizar seus negócios, suas estratégias e táticas de sobrevivência, bem como tentar abarcar os usos e

sentidos de espaços – de negócio e de família – e a rede de relações ali tecidas.  O virador é nossa sugestão como metamodelo do empreendedor brasileiro. Aquele que se vira, empresário-de-si-próprio e um artesão da vida. Seu empreender não pressupõe demandas racionais e cartesianas. Sua prática – virações! – corrobora João Guimarães Rosa quem nos ensinou que, “sabedoria é algo distinto da lógica”. Observá-lo como ele é de fato é ampliar o horizonte da visão sobre o indivíduo-gestor e vê-lo, assim como suas práticas, como produto, ainda em aberto, do repertório de disposições que foi capaz ou não de incorporar nos espaços sociais em que viveu, ao longo de sua trajetória – viradores e virações!!! No contexto do Programa, tais ações são abordadas no âmbito de duas linhas de pesquisa inter-relacionadas, a saber: Linha de Pesquisa 2, Processo de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade, na qual investiga-se a produção de conhecimentos e saberes que levem a modos diferenciados – “ordinários” e “subversivos”! – de gestão de coisas interessantes no âmbito do cotidiano dos indivíduos e/ou grupos na perspectiva da sustentabilidade enquanto estratégia de sobrevivência para setores excluídos do mercado formal de trabalho; Linha de Pesquisa 3, Recepção, Crítica e Experiência: Narrativas Contemporâneas, na qual busca-se desenvolver métodos e metodologias práticas de intervenção no real, conectando transdisciplinarmente propostas de novas formas de agir e de proceder no mundo e no cotidiano das práticas artísticas – e noutras também! – dos indivíduos e/ou grupos para as quais esse tipo de abordagem possa contribuir enquanto experiências criativas e inovadores no âmbito de um laboratório de empreendimentos criativos para novas formas de geração de trabalho e renda, enquanto berço de lideranças e de novos empreendedores. Uma incubadora de idéias. O projeto em questão bebe da fonte humboldtiana de uma universidade plural, contrária a “cegueira auto-reflexiva” de uma universidade “escolarizada”, segundo critérios de utilidade e especialização e afirma sua idéia diretriz de uma formação humanista geral. A universidade humboldtiana é o espaço institucional para a realização desta formação humanista geral, com o objetivo fundamental de viabilizar uma auto formação ética da pessoa, através de uma atividade científica que se compreende a si mesma como filosofia. E agir eticamente, fazendo do mundo o material de seu dever, é para Wilhelm von Humboldt o fim último da formação universitária, estruturada segundo o objetivo de visar “... metamorfosear tanto mundo quanto possível na própria pessoa (...) pela vinculação do nosso eu com o mundo para as mais gerais, provocantes e livres inter-relações. Por fim, o empreendedorismo a que referimos foge das referências de cunho meramente econômico e/ou comportamental. Ele transborda e aponta para um empreendedorismo que gera e distribui renda, conhecimento e poder, um Empreendedorismo de Interesse Social. Tudo isso na perspectiva da sustentabilidade enquanto conexão intrínseca entre justiça social, paz, democracia, autodeterminação e qualidade de vida. Do ponto de vista metodológico, beberemos das contribuições de, dentre outros, Michel de Certeau que permitem pensar a gestão como reflexo da ação cotidiana dos sujeitos organizacionais ou, dito de outro modo, das suas “artes do fazer” – virações! –, bem como da idéia de “patrimônio individual de disposições” de Bernard Lahire e sua “sociologia à escala individual”; e ainda da idéia deliciosamente subversiva de uma “gestão ordinária” do Prof. Alexandre de Pádua Carriere. E assim, a abordagem proposta, de cunho eminentemente exploratório e qualitativo, se dará a partir da observação direta e não-participativa desses indivíduos e/ou grupos culminando em estudos de casos que servirão de referência para o nosso laboratório proposto – uma pesquisa-ação enquanto estratégia de pesquisa com interface na extensão com o objetivo explícito de proporcionar mudanças, melhorias, emancipação social e a construção colaborativa do conhecimento a partir da reflexão sobre essas práticas.

 

PALAVRAS-CHAVE: transdisciplinaridade; empreendedorismo de interesse

social; virador; artes do fazer; gestão ordinária; invenção do cotidiano;

administração subversiva; sustentabilidade.

 

Linhas de pesquisa

Linha 2 - Processo de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade

Linha 3 - Recepção, Crítica e Experiência: Narrativas Contemporâneas


 


Eduardo Bento Pereira
Lattes: http://lattes.cnpq.br/1543642490490793
E-mail: ebento@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

Sustentabilidade criativa: inter-transdisciplinaridades em artes e urbanidades por meio das tecnologias e promoção humana no contexto da aprendizagem criativa e do empoderamento social

 

RESUMO

O presente projeto de pesquisa tem como objetivo geral o estudo, a compreensão e o desenvolvimento de metodologias, processos e produtos Inter-transdisciplinaridades no contexto educacional e de divulgação do conhecimento para a promoção da sustentabilidade criativa e do empoderamento social. O projeto se baseia no uso das tecnologias e de metodologias ativas, em especial, a aprendizagem criativa e avalia suas implicações na economia colaborativa, empreendedorismo e inovação, bem como sua potencialização como impulsionadora de transformação social focando-se em aspectos da integração das artes, urbanidades e sustentabilidade. Serão investigados, também, os métodos de construção artísticas e científicas dentro do conceito de arte-ciência e sua interação com a cultura e saberes populares, senso comum, conhecimento acadêmico e técnico-científico de modo a se aprimorar metodologias educacionais para o ambiente escolar e em ambientes não convencionais de aprendizado, incluindo-se espaços urbanos como museus, praças, centros comunitários, espaços de cultura popular e ambiente virtuais. A partir destes conceitos, serão analisadas as relações entre o conhecimento gerado, divulgado e compartilhado no fomento de iniciativas de empreendedorismo e inovação como formas de promoção de renda, autonomia e empoderamento de pessoas e comunidades. A interação dialógica entre os diversos atores da sociedade como artistas, artesãos, acadêmicos, gestores e também instituições de ensino, poder público, iniciativas privadas, organizações sociais são a base na qual se apoia o projeto e o conceito de sustentabilidade criativa. Serão explorados cenários, envolvendo problemas complexos, os quais se pretende avaliar a influência dos aspectos urbanos na educação e como o empoderamento social pode ser promovido tendo como base o projeto inter-transdisciplinar e o uso de tecnologias integradas à promoção humana por meio da aprendizagem e da sustentabilidade criativa.

 

PALAVRAS-CHAVE: sustentabilidade criativa, aprendizagem criativa, sustentabilidade social.

 

Linhas de Pesquisa

Linha 1 – Processos Criativos

Linha 2 - Processo de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade

 


Fernanda Nascimento Corghi
Lattes: http://lattes.cnpq.br/5823994983399863
E-mail : corgho@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

PLE- Planejador- educador

 

RESUMO:

O objetivo do projeto de pesquisa e extensão docente é ampliar o escopo da discussão e das práticas sobre o território atrelando-o ao debate amplo por meio de linguagens diversas à promoção da diversidade cultural, do debate ambiental, da justiça social (autodeterminação dos sujeitos e coletividades) e da compreensão das singularidades e de seus atravessamentos, tais como afetividade, memória pertença, criatividade e papéis, assuntos estes que permeiam o universo do pensamento crítico e da tomada de decisão consciente e autônoma. Desenvolvido no contexto dos grupos GLAD- Grupo de Pesquisa em artes, alfabetizacao territorial e dinamica que vê o planejador-educador é um educador dinâmico a serviço da população. Busca no modus operandi do indivíduo a compreensão dos processos que o envolvem, sejam estes de ordem legal, física, social, singular, administrativa ou de outra natureza. Visa compreender como os indivíduos se conectam ao seu território de materialização e atuação, e potencializa de forma dialógica essas relações de pertencimento. O papel do planejador-educador é dinâmico frente à construção da autonomia do indivíduo. Ele não é meramente um planejador que educa... ele é plural, é agitador... pode ser pouco planejador e mais agitador, e sendo desta forma ele não é apenas um educador que planeja ou um planejador que educa. O território nesta perspectiva abrange as mais diferentes escalas e formas (bio-psico-socio-ambiental). Há produção de conhecimento a partir das intensidades dos encontros, das influências mútuas entre os seres e o meio, relacionadas às conexões do corpo e de estímulos de visão sistêmica para a sustentabilidade do indivíduo no meio. Nesse âmbito, o corpo é também visto como território existencial de afetos dentro das práticas de observação e vivências no campo, sobretudo através de pesquisa cartográfica. Um processo orgânico e epistemológico que ressalta a dinâmica do ser individual e no coletivo. E, GRAAU- Grupo de Acessibilidade Arquitetônica e Urbanística que  tem suas ações atreladas ao Núcleo de Pesquisa em Acessibilidade, Diversidade e Trabalho – NACE - e ao Setor de Inclusão e Assuntos Comunitários - SINAC. Objetiva ampliar o debate e a promoção do desenho universal, com ênfase à questão do quadro educacional e à importância que este tem efetivamente dado às questões pertinente ao desenho universal na formação dos diversos profissionais, responsáveis não só por executar normas de acessibilidade, mas também pela transformação da cultura de uso e ocupação dos espaços, inclusive nas competências artísticas. A promoção do desenho universal para a valorização do ser humano inclui os que possuem diferença funcional (deficientes) e mobilidade reduzida e amplia a visão do homem padrão vitruviano para a inclusão do não-padrão de corpos, respeitando diferenças e modos de experiências plurais.

 

PALAVRAS-CHAVE: território-  interdisciplinaridade – desenho universal - planejador-educador – diversidade – autonomia – autogestão – dinâmica – linguagem - educação

 

Linhas de Pesquisa:  

Linha 1 – Processos Criativos

Linha 2 - Processo de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade



 


Filomena Maria Avelina Bomfim
Lattes: http://lattes.cnpq.br/9944918766869732
E-mail: myosha@gmail.com

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

Educomunicação em; redes: uma proposta de sustentabilidade a partir dos media, das artes e da cultura.

 

RESUMO

Estudo e realização de práticas do pensamento e da ação inter e transdisciplinar, a fim de conceituar a Educomunicação como processo, metodologia de pesquisa e comopolítica pública a serviço das Artes e da Sustentabilidade no espaço urbano, entendido como campo de mediações. O intuito dessa iniciativa de investigação científica é provocar o amadurecimento do aparato crítico-apreciativo nas audiências, para que se desenvolva o exercício da análise, apreciação e avaliação das práticas comunicativas contemporâneas. Espera-se dessa forma motivar o público envolvido na valorização das práticas comunicativas regionais e/ou expansão de meios de comunicação alternativos, comprometidos com o contexto regional em que serão utilizados, considerando a cultura e a identidade locais. Tendo em vista a articulação pesquisa, ensino e extensão, somadas à articulação teoria e prática direcionadas para a sustentabilidade, que caracterizam o PIPAUS, o objetivo geral deste projeto de pesquisa é preservar as práticas comunicativas comprometidas com a promoção do desenvolvimento urbano regional por meio do fortalecimento de redes educomunicativas. Assim sendo, pretende-se identificar e investigar práticas e teorias socioculturais sustentáveis nas áreas das Artes, Urbanidades e Comunicação Social que contribuam para a ampliação das possibilidades humanas de interação no mundo, pelos sujeitos interpretantes. No contexto do Programa, tais ações são abordadas no âmbito da linha de pesquisa 2, (Processos de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade) e da linha de pesquisa 3 (Recepção, Crítica e Experiência: Narrativas Contemporâneas), nas quais busca-se desenvolver abordagens crítico-experimentais relativas à criação e prospecção de técnicas e metodologias práticas de intervenção no real, conectando transdisciplinarmente propostas de novas formas de agir e de proceder no cotidiano das intervenções sociais comprometidas com a sustentabilidade. Essas propostas acadêmicas podem se desenvolver dentro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educomunicação (GEPEducomufsj), liderado pela coordenadora desta pesquisa.

 

PALAVRAS-CHAVE: educomunicação, ecossistema comunicativo, sustentabilidade, cidadania; desenvolvimento regional.

 

Linhas de pesquisa :

Linha 2 - Processo de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade

Linha 3 - Recepção, Crítica e Experiência: Narrativas Contemporâneas



 


Flávio Luiz Schiavoni
Lattes: http://lattes.cnpq.br/1259591090948385

E-mail: fls@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

Processos Criativos e Arte Digital

 

RESUMO

O projeto traz a pesquisa e investigação em Arte Digital e a integração das áreas de Artes, Ciências e Tecnologia com o ambiente Mosaicode, um ambiente de programação Visual que permite que não-programadores desenvolvam aplicações artísticas digitais. Além do desenvolvimento tecnológico, a pesquisa busca entender as práticas e processos criativos individuais e coletivos e as experimentações destas práticas em um grupo de criação artística denominado Orchidea - uma orquestra de ideias, utilizando para isto dispositivos computacionais. Por meio deste grupo e  apoiado pelo desenvolvimento tecnológico, pretendemos investigar o ensino e aprendizagem de Artes Digitais assim como os processos criativos deste formato de arte envolvendo questões de colaboração, urbanidade e sustentabilidade. Esta pesquisa envolve colaborações com estudantes de mestrado do programa de Pós Graduação em Ciência da Computação e do Programa Interdisciplinar de Pós Graduação em Artes, Urbanidades e Sustentabilidade da Universidade Federal de São João Del Rei bem como com pesquisadores de outras instituições com as quais o autor mantém vínculos de pesquisa e colaborações.

 

PALAVRAS-CHAVE: processos criativos , arte digital, colaboração , cooperação.

 

Linha de pesquisa :

Linha 1 – Processos Criativos



 


Jose Rodrigues de Alvarenga Filho
Lattes: http://lattes.cnpq.br/9721567711989004
E-mail: joserodrigues@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO: 

Cartografar, ensaiar, resistir: entrelaces entre cidade, política e subjetividade.

 

RESUMO

Nosso trabalho parte de um plano de experimentação coletivo e faz uso de estratégias político-metodológicas que nos aliam àqueles que fazem do exercício da experimentação do pensamento um ato de insubordinação, bem como, da escrita uma prática engajada de invenção de si e do mundo. Não temos por meta encontrar verdades, mas interrogar as evidências que tornam o mundo um lugar acabado, ao invés de uma polifonia de processualidades inconclusas e caóticas. O que nos move é o desejo de transformação. Todavia, entendemos que toda transformação social é, antes de mais nada, uma transformação micropolítica de si. Por este viés, nosso trabalho não fala a partir de uma cômoda - e ficcional - neutralidade. Nossa fala é situada, mas não sitiada. Em tempos de golpe, de instauração de estados de exceção planetários, entendemos que o ato de pesquisar/intervir jamais pode se fazer enquanto supostamente desimplicado. Quais mundos queremos produzir ou afirmar em nossas micropolíticas práticas cotidianas? Damos passagem a quais relações de poder? Nosso trabalho é uma provocação/experimentação que se agencia com a obra de diferentes pensadores nômades. Por outro lado, interessa-nos, em nosso agenciamento com o PIPAUS, desenvolver e acompanhar pesquisas que busquem questionar as forças instituídas no contemporâneo, bem como, trabalhar com temas como: cidade, território, experiência, produção de subjetividades, práticas de resistência e a construção da vida enquanto obra de arte. Para tanto, utilizamos a cartografia como estratégia metodológica e o ensaio como política narrativa. A cartografia implica em estar imerso num território/experiência tendo por alvo colocar em análise a dinâmica de funcionamento do mesmo. Ou seja, cartografar envolve a construção de um exercício de interrogação das linhas de força que atravessam e compõe determinado território/experiência.   Por este viés, mais do que enunciar verdades, a cartografia “interroga evidências” (Gross, 2016, p.22) e tenta reverter os métodos tradicionais ao afirmar que o caminho é que determina o processo de pesquisar e não metas definidas a priori (Alvarez; Passos, 2009). Ao invés de regras fixas, trabalhamos com pistas provisórias, parciais e fragmentadas. Como afirmarmos em recente trabalho (Lima, Alvarenga Filho, 2019). No que concerne ao ensaio enquanto política narrativa, entendemos o mesmo como um “gênero impuro”. Ou seja, uma forma de escrita transdisciplinar que nos faz habitar “entre” fronteiras, fazendo confundir e tensionar as disciplinaridades. Estas são estratégias de controle do pensamento no âmbito científico. Como afirma Larrosa (2003, p. 104). Por outro lado, agenciamos a cartografia e o ensaio com a ideia da metodologia enquanto “canteiro-de-obras” (Lima, Alvarenga Filho, 2019), onde o pensamento se potencializa no exercício cotidiano da pesquisa.  Pois o mesmo “é feito de retalhos, de fragmentos, de pequenos trechos, de hipóteses, de pistas seguidas ou abandonadas, de empréstimos, de contatos, de discussões - em resumo, que ele é um canteiro, um trabalho" (Artières et al 2011, p. 4). Desta forma, adotando uma perspectiva transdisciplinar de trabalho, apostando na cartografia como estratégia metodológica e no ensaio como narrativa, pretendemos fazer um “diagnóstico do presente” que consiste em, a partir de alguns pontos que o “olhar designou”, bem como, da nossa relação com as experiências da atualidade, “diagnosticar as forças que constituem nossa realidade e que ainda a movimentam (Artières, 2004, p. 16). Entendemos tal diagnóstico como exercício crítico diante de si e do mundo afim de potencializarmos a construção de outros mundos possíveis e, ao mesmo tempo, reinventarmos a vida enquanto obra de arte.

 

PALAVRAS-CHAVE: cartografia, cidade, produção de subjetividades, política, ensaio.

 

Linhas de pesquisa:     

Linha 1- Processos Criativos

Linha 3 - Recepção, crítica e experiência: narrativas contemporâneas



 


Luciana Beatriz Chagas
Lattes: http://lattes.cnpq.br/7647302575184968
E-mail: lbchagas@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

O que as Artes Aplicadas podem fazer pela Sustentabilidade

 

RESUMO:

Este é um projeto de pesquisa interdisciplinar, que pretende investigar a relação entre as Artes Aplicadas (mais especificamente a cerâmica) e a Sustentabilidade, tomando como base conceitos ampliados de sustentabilidade, como definidos em GUATTARI (1990), LEFF (2001) e BOFF (2012). As Artes Aplicadas estão descritas como ‘Artes Menores’ ou ‘Ofícios’ entre os historiadores da arte, produtos do fazer artesanal anterior à mecanização e automatização da produção de bens de consumo movida pelo capitalismo, notadamente nos últimos dois séculos. A partir de pesquisas relacionadas ao design do objeto industrial e sua relação com o consumo e consequências ambientais, sociais, culturais e econômicas advindas do modo de produção capitalista, busca-se demonstrar a conexão entre o fazer artesanal como “corpo social” (PAZ, 1991) e a sustentabilidade; e o objeto artesanal como alternativa à cultura do descarte, além da manutenção e propagação dos saberes tradicionais e das culturas locais e populares. Para isso, serão feitas pesquisas conceituais (relacionadas ao design e sustentabilidade, às artes aplicadas e artesanato, e às artes populares), reflexivas (sobre sustentabilidade ambiental, econômica e social), estéticas (com as poéticas visuais) e técnicas (com matérias-primas, design de equipamentos e técnicas artesanais, e design do objeto cerâmico aplicado a pesquisas em sustentabilidade).

 

PALAVRAS-CHAVE: Design e Sustentabilidade, Design do Objeto Cerâmico, Materiais cerâmicos, Artesanato, Arte Popular, Interdisciplinaridade. Vinculado ao grupo de pesquisa Kérameikos - Laboratório de pesquisas em cerâmica artística (UFSJ)

 

LINHAS DE PESQUISA:

Linha 1 – Processos Criativos

Linha 3 - Recepção, Crítica e Experiência: Narrativas Contemporâneas



 


Luciana Castello da Costa Leme Walther
Lattes: http://lattes.cnpq.br/2483350117089737
E-mail: lucianawalther@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

Arte e Sustentabilidade em Empreendimentos Sociais do Campo das Vertentes

 

RESUMO

O projeto “Arte e Sustentabilidade em Empreendimentos Sociais do Campo das Vertentes”, coordenado pela Profª. Drª Luciana Walther (PIPAUS/DECAC/UFSJ) e pelo Prof. Dr. John W. Schouten (Memorial University, Canadá), tem como objetivo geral de pesquisa investigar cientificamente empreendimentos sociais do Campo das Vertentes, especificamente na cidade de Vitoriano  Veloso (também conhecida como Bichinho), entendendo como os empreendimentos locais transformam a comunidade e como a comunidade transforma esses empreendimentos. O foco recai sobre iniciativas ligadas a arte e artesanato, mas não se restringe apenas a elas. O ponto de partida é a Oficina de Agosto. Como objetivo de extensão, o projeto pretende democratizar e ampliar o acesso aos achados científicos oriundos da pesquisa de campo, expressando-os via criações artísticas, seja em forma de vídeo, escultura, collage, pintura, instalação ou qualquer outro meio poetico-metafórico. O projeto prevê a oferta de um a quatro produtos artísticos, apoiados financeiramente pela PROEX/UFSJ, que serão expostos na galeria de arte do congresso científico Consumer Culture Theory em 2020. Partindo  das seguintes perguntas de pesquisa, este estudo pretende entender dinâmicas identitárias em nível micro (identidades individuais de artistas e empreendedores), meso (identidade organizacional das oficinas), e macro (identidade regional e cultural da cidade): como o artista cria a arte?; como a arte cria o artista?; como a assemblagem da oficina artística (isto é, o empreendimento social) cria a arte, o artista e a comunidade? A abordagem metodológica é qualitativa, de inspiração etnográfica. As técnicas utilizadas são a entrevista em profundidade, que tem como instrumento o roteiro semiestruturado de perguntas abertas, e a observação participante, cujo instrumento é o diário de campo. A principal lente teórica guiando a ida a campo e a interpretação dos dados é a Teoria da Assemblagem, de Manuel Delanda.

 

PALAVRAS-CHAVE: empreendedorismo social, teoria da assemblage, agenciamento, identidade, transformação comunitária, Oficina de Agosto

 

Linha de Pesquisa:

Linha 3 - Recepção, Crítica e Experiência: Narrativas Contemporâneas



 


Marcela Alves de Almeida
Lattes: http://lattes.cnpq.br/9755742184205920
E-mail: marcelaalmeida25@gmail.com

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

Processos criativos colaborativos

 

RESUMO:

Este projeto de pesquisa se propõe a investigar os temas arte, urbanidade e sustentabilidade por meio dos processos de criação em rede, processos criativos colaborativos e processos de criação intermediados pela tecnologia digital. A recepção da arte, da arquitetura, do espaço, a autoria, os processos participativos, entre outros, são subtemas que emergem desta investigação. O arcabouço teórico que oferece suporte metodológico transdisciplinar é buscado nas teorias do design thinking, na cibernética de segunda ordem, na teoria dos sistemas e no pensamento complexo. O objetivo geral da pesquisa é o desenvolvimento ou análise de metodologias de colaboração por meios digitais.

 

Linhas de pesquisa :

Linha 1 – Processos Criativos

Linha 3 - Recepção, Crítica e Experiência: Narrativas Contemporâneas


 


Márcia Saeko Hirata
Lattes: http://lattes.cnpq.br/7305281540802533
E-mail: marciasaekohirata@gmail.com

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

Resistência e dinâmicas socioespaciais na produção do urbano: perspectivas artísticas e culturais.

 

RESUMO

Há uma questão ampla nos estudos urbanos quanto às contradições da produção do urbano contemporâneo em relação aos seus impactos sobre a natureza, que refletem uma contradição maior entre sociedade e natureza, em que se coloca em questão os termos da sustentabilidade e de uma visão humanista de sociedade na atual realidade social. Revelador deste processo são os conflitos sociais expressos nas diferenças entre as diversas formas de apropriação do espaço urbano, às quais correspondem um cotidiano onde se produz e reproduz práticas sociais que sintetizam a unidade contraditória entre práticas dominantes e práticas de contraposição a este domínio. E nestas práticas é que se definem os termos do que de fato seria sustentável, nos termos de uma justiça social e ambiental. Entendemos que as manifestações culturais compõem tais práticas ao mesmo tempo que são por excelência um campo de manifestação da condição humana por seu caráter artístico criativo. Por outro lado há um campo cego de entendimento quanto à relação destas manifestações com a produção do espaço urbano, que exige a interação do conjunto do fazer e pensar, das práticas e de diversas áreas do conhecimento. Há assim um campo de estudos aberto cuja elucidação muito contribui para o entendimento da atual sociedade, e em especial da produção do espaço urbano, ao mesmo tempo que se abre a possibilidades de transformação do urbano e do humano. Desta maneira, com base nas práticas sociais conflituosas em torno de questões sociais, ambientais e urbanas das manifestações artísticas e culturais, sem os dissociar, definimos enfoques para cada linha de pesquisa. Na linha de pesquisa 1, Processos Criativos, o foco se dará em investigações, sistematizações e análises sobre práticas. A linha de pesquisa 2, Processos de Difusão, dá relevância ao fazer simultâneo ao processo investigativo, de caráter reflexivo experimental dialógico entre conhecimentos técnico-científicos

e populares.

 

PALAVRAS-CHAVE: urbano e natureza, resistência, arte e cultura, cotidiano

 

Linhas de Pesquisa :

Linha 1 – Processos Criativos

Linha 2 - Processo de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade



 


Maria Angela de Araújo Resende
Lattes: http://lattes.cnpq.br/9826203139768282
E-mail: m_angela@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:  

Poéticas urbanas: corpo, espaço e escrita 

 

RESUMO

Ao publicar a resenha intitulada “Sobre Subjetividades em devir: estudos de poesia moderna, Célia Pedrosa e Ida Alves (org.), Rio de Janeiro, 7letras, 2008”, Antonio Andrade (2010) apresenta, de forma sucinta, os eixos temáticos e teóricos dos trinta ensaios constantes da obra que ele denomina de “livro-anais”. A despeito da homogeneidade crítico-teórica que caracteriza a matéria resenhada, e das marcas de afinidades explícitas entre os textos e seus autores, Andrade aponta uma indecibilidade que perpassa o pensamento que sustenta o repertório crítico presente na obra. Diz ele: No lugar da crítica, como é concebida canonicamente, pode-se reconhecer aí uma sorte de arquivo em que poetas de língua portuguesa, francesa e espanhola e questões teórico-filosóficas de extração preponderantemente francesa, norte americana e italiana – passando-se por nomes como Derrida, Butlher e Agamben – são colocados lado a lado para que então sobressaia “uma” leitura a trinta mãos. (p. 79) A indecibilidade de que fala Antonio Andrade parece sinalizar a emergência de outros gestos críticos sobre este tipo de crítica que se constitui em lugares institucionais bem demarcados pelos pesquisadores brasileiros e estrangeiros presentes ao evento e suas filiações de base epistemológica. O autor não deixa de assinalar o sólido trabalho institucional e interinstitucional de pesquisa e debate sobre a crítica contemporânea” (p. 78), e a circulação do discurso acadêmico promovido por uma editora – a 7Letras, que segundo ele, “garante (...) um espaço entre o universo acadêmico e o circuito poético” (p. 79). Este texto/resenha de Antonio Andrade torna-se iluminador e um ponto de partida interessante para algumas hipóteses para a execução desta minha proposta de trabalho, que se abrem a duas possibilidades: 1) a primeira seria uma investigação das poéticas contemporâneas (especialmente no Brasil), a partir da publicação de antologias (e também para fora delas) que têm recebido uma visada editorial (sem deixar de ser exclusiva): Nothing the sun not explain: 20 contemporay Brazilian poets (1997), organizada por Régis Bonvincino, Nelson Ascher e Michael Palmer; Esses poetas: uma antologia dos anos 90 (1998), organizada por Heloísa Buarque de Hollanda; Outras praias: 13 poetas brasileiros emergentes / Other shores: 13 emerging Brazilian poets (2002), organizada por Claudio Daniel e Frederico Barbosa; Antologia comentada da poesia brasileira no século XXI (2006), organizada por Manuel da Costa Pinto. Para além das manifestações poéticas, algumas narrativas mais recentes, que têm ocupado um lugar de destaque nas grandes editoras e, consequentemente, nos inúmeros eventos/festas/festivais literários que ocorrem durante todo o ano no Brasil. As produções de jovens autores como Luiz Ruffato, Ana Paula Maia, Tatiana Salem Levy e Carola Saavedra podem indicar caminhos para se pensar, também, os territórios do contemporâneo e, em alguns casos, a partir do que Josefina Ludmer (2010) denomina de “Literaturas pós-autônomas” . A segunda seria discutir a crítica que tem sido feita no Brasil e na América Latina sobre essas poéticas, forjadas sob o signo da “urbanidade” e a diversidade de suportes para a sua transmissão: poesia falada em festas literárias, proliferação de “encontros poéticos”, o par corpo/voz como elemento essencial para o gesto performático e também a tradição já consolidada do poeta-crítico. No caso da ficção, as fronteiras imprecisas entre realidade e ficção, o texto em fragmentos, a palavra encenada ou “teatralizada”, o texto híbrido como no romance Paisagem com dromedário, de Carola Saavedra (Cia. das Letras, 2010) acenam, também, para a literatura como gesto performático. Necessário, então, deslocar-se do papel de leitor/crítico da poesia e ficção enquanto somente “textualidade”, e avançar para a “gestualidade” /performance/ performatividade da palavra poética e procurar compreender como o texto poético (e também narrativo) se relaciona ao âmbito sensível do cotidiano, da experiência urbana, da comunidade do desejo e também como formas de sociabilidade. Com relação ao caráter de “antologias”, esse procedimento histórico - critico parece funcionar como uma operação de arquivamento de uma certa “geração” de poetas, que parecem transitar entre a modernidade e a pós-modernidade. Uma das questões que tenho tentado responder é: como os poetas da chamada Geração 70 se circunscrevem hoje, entre esses poetas selecionados pelas antologias em pauta, considerando-se também suas recentes produções configuradas num projeto literário poético, iniciado na década de 70 . 

 

LINHAS DE PESQUISA

Linha 1 – Processos Criativos

Linha 3 - Recepção, Crítica e Experiência: Narrativas Contemporâneas



 


Mateus de Carvalho Martins
Lattes: http://lattes.cnpq.br/4714325705400318
E-mail : mtcvmt@yahoo.com.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

MATTAS – Materiais, Técnicas e Tecnologias Alternativas e Sustentáveis

 

RESUMO:

O projeto visa auxiliar na organização e ampliação das pesquisas e extensões que o professor proponente vem realizando há anos, principalmente desde 2009, na Universidade Federal de São João del-Rei. A pesquisa tem foco na questão alternativa, criativa e sustentável, destacando os materiais, técnicas e tecnologias, além de auxiliar nas áreas de construção, cidade, patrimônio, arte, cultura popular, bioconstrução, entre outras, tanto na parte teórica como na prática. Além disso, busca-se também, nesse projeto de pesquisa, interagir com demais campos do conhecimento através de autores e orientadores que se relacionam com o tema, criando e estruturando bases de ação fundamentadas por diversas áreas, enriquecendo os trabalhos, como: Arquitetura e Urbanismo, Artes, Geografia, Engenharias, Ecologia, Patrimônio, Políticas Sócio-Culturais, Música, Solos, Administração, Jornalismo, Bioconstrução, Cultura Popular, Construção Popular, Arqueologia, Comunicação, Permacultura, Agrofloresta, entre outros, buscando na dimensão regional e local, materiais e técnicas para serem apropriadas, pesquisadas e trabalhadas. Como produto, busca também um processo como prática comunicativa dos trabalhos realizados e os contatos com as diversas áreas.

 

PALAVRAS-CHAVE: Materiais Alternativos, Técnicas e Tecnologias Alternativas, Sustentabilidade, Patrimônio, Cidade, Arte, Cultura Popular, Música, Meio Ambiente, Bioconstrução, Permacultura.

 

Linhas de pesquisa :

Linha 1 – Processos Criativos

Linha 2 - Processo de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade



 


Paulo Henrique Caetano
Lattes: http://lattes.cnpq.br/5327791050378940
E-mail : phcaetano@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:  

Práticas discursivas, sociais e culturais: devires do design da sociedade e da sociedade do design

 

RESUMO:

O presente projeto descreve a nossa proposta de atuação docente para o próximo quadriênio junto ao Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Artes, Urbanidades e Sustentabilidade e ao Curso de Comunicação Social - Jornalismo, apontando os principais conceitos e elementos que serão utilizados no ensino na graduação e pós-graduação, na pesquisa e na extensão neste período. Também serão elencadas as Unidades Curriculares que comporão o primeiro momento da execução do projeto, bem como seus desdobramentos em forma de Programa de Extensão e Projetos de Iniciação Científica e de dissertação de Mestrado e outros produtos. A base teórica para a execução do projeto tem seu ponto de partida nos estudos da linguagem e discurso, com viés socioantropológico (cf. FAIRCLOUGH, 2001, 2003, 2006), estendendo-se a estudos da relação entre manifestações culturais e suas vinculações territoriais. O conceito de design e seus desdobramentos instrumentais para a análise social serão acionados como maneiras de fomentar projetos críticos e sustentáveis de futuro (cf. FLUSSER, KRESS e VAN LEEUWEEN, 1996, 2001).

 

PALAVRAS-CHAVE: práticas discursivas, sociais e culturais; discurso e mídia; design social; conceitos de design; cultura e território; direito à cidade.

 

Linhas de pesquisa

Linha 2 - Processos de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade

Linha 3 - Recepção, crítica e experiência: narrativas contemporâneas



 


Renata de Souza Reis
Lattes: http://lattes.cnpq.br/3667529119321771
E-mail: renatareis@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

Uniterra: Tecnologia, arte e sustentabilidade como meios de desenvolvimento rural e urbano

 

RESUMO:

A ocorrência de condições desfavoráveis de vida no campo tem ocasionado a manutenção de uma significativa parcela dos territórios rurais próximos a centros urbanos  à margem do processo de desenvolvimento. Observa-se que as populações buscam reinserção econômica, social, política e até tecnológica, pela sua reafirmação, redefinição e atualização de seus modos de vida e construção de alternativas. Como forma de auxiliar na melhoria da condição de vida dessas populações, e o desenvolvimento local, busca-se criar alternativas viáveis voltados para tal problemática, que visam propiciar soluções eficazes para que este quadro seja revertido. Por meio de históricos antropológico cultural vislumbra-se a diversificação da produção agropecuária tendo como base a agroecologia; a recuperação e a promoção de saberes e fazeres culinários e artesanato típicos de cada região, com vias à melhoria da qualidade de vida, desenvolvimento local e regional, estímulo à ideologia alimentar e valorização da cultura e identidade camponesa. Nesse contexto a adoção de agroecossistemas sustentáveis, visa contribuir para a conservação da agrobiodiversidade dos territórios, dos recursos naturais e demais meios de vida, possibilitando a perpetuação da agricultura familiar, numa ótica que transcende a produção de alimentos e abriga anseios maiores, como a perpetuação social das famílias, a qualidade de vida e a preservação dos recursos naturais para as futuras gerações. Dessa maneira, a interdependência entre os elementos naturais, tecnologia e meios socioeconômicos devem ser estudados em conjunto afim de se obter êxito em modelos de produção sustentáveis. Ademais, busca-se por meio do saber ambiental o desenvolvimento de todas as vidas permitindo outro olhar ao conhecimento e transformando as condições do saber pelas relações entre o ser com o pensar e o saber, e com o conhecer e atuar no mundo. Para isso, esse projeto de pesquisa visa por meio da interação com diversos campos do conhecimento a construção de um novo saber, através de autores e orientadores que possam se relacionar com o tema, criando e estruturando bases de ação fundamentadas por áreas como: Agronomia, Zootecnia, Ecologia, Pedagogia, Geografia, Engenharia Florestal, Arquitetura e Urbanismo, Artes, Engenharias, Administração, Jornalismo, Informática entre outros. Como produto, busca também um processo como prática comunicativa dos trabalhos realizados e os contatos com as diversas áreas. Em relação ao processo metodológico, parte-se do princípio da experimentação, divisão de etapas, orientações, estudos orientados e descritivos, sensibilização, oficinas, planos, entre outros, direcionados para a diversidade de projetos que estarão inseridos no Projeto de Pesquisa “ENITERRA”. Tais trabalhos serão de pesquisas diversas, bem como também podendo contar com projetos de extensão e ensino.

 

PALAVRAS-CHAVE: agroecologia, agrobiodiversidade, saber ambiental,sustentabilidade

 

Linha pesquisa

Linha 2 - Processos de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade



 


Sérgio Gualberto Martins
Lattes: http://lattes.cnpq.br/2477743442719896
E-mail: sergiogualberto@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

Manejo, recuperação e gestão de recursos naturais em áreas urbana e rural na região do Campo das Vertentes, MG.

 

RESUMO:

O histórico do Brasil registra um avanço econômico, que levou as florestas a sofrerem um desmatamento acelerado e ao surgimento de áreas degradadas. Após o desmatamento, dentre outros, um dos recursos naturais atingidos é o solo. As áreas de florestas acabam dando lugar à agropecuária e às áreas minerárias, causando uma série de degradação. De acordo com a EMBRAPA (2013), são mais de 165 milhões de hectares plantados por pastagens no Brasil. Deste total estima-se que 70% passam por algum tipo de degradação. Esta degradação causa uma série de prejuízos ambientais, econômicos e sociais, podendo destacar as perdas da camada arável, nutrientes e matéria orgânica, impactos negativos na qualidade de água e na harmonia da paisagem. Além disso, o que se verifica em muitas destas áreas é o não atendimento às leis ambientais, como por exemplo, ao código florestal e a invasão de áreas já denominadas unidades de conservação. Já em áreas urbanas, ocorrem as expansões desordenadas gerando também uma série de prejuízos ambientais, dentre eles, processo de erosão acelerada, ocupações irregulares, enchentes, prejuízos na mobilidade urbana, dentro outros. Em sua quase totalidade os municípios brasileiros possuem e continuam gerando passivo ambiental seja na área rural ou urbana. Assim, o crescente aumento das demandas por alimento, energia e moradia, gera um impacto ambiental sinérgico, seja ele nas áreas rurais ou no meio urbano. Surge então a necessidade de trabalhar estas questões no que diz respeito ao domínio de técnicas que consigam minimizar os danos causados pelo desenvolvimento. O termo sustentabilidade teve como base a conferência de Estocolmo na Suécia em 1972, primeiro encontro organizado pelas Nações Unidas, com objetivo de tratar assuntos relacionados à degradação ambiental. Logo depois, na década de 80, o termo sustentabilidade começa a ser utilizado em todo mundo. De uma forma bem simples, a sustentabilidade significa ter ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos, sem comprometer o futuro das próximas gerações. A sustentabilidade se baseia em três pilares, sendo eles: social, econômico e ambiental. Assim surge uma pergunta, o que é ser sustentável? O que é uma produção sustentável? Se partirmos do princípio que a produção sustentável passa pelas questões sociais, econômica e ambiental, ser sustentável, é atender as questões sociais, ambientais e econômicas, quando estamos tratando do uso de recursos naturais para os mais variados fins. Assim, para alcançar objetivo de produzir de forma sustentável e estar alinhado aos preceitos internacionais no que diz respeito às questões ambientais, o Brasil instituiu em 1981, a Política Nacional de Meio Ambiente. Surge então o licenciamento ambiental, obrigando a todos os empreendimentos ou sistemas de produção a passarem pelo licenciamento ambiental. Na década de 90, surgem os diferentes selos, dentre eles o da ISO 14000, International Organization for Standardization, ONG com sede na Suiça, que trata de uma série de normas e diretrizes que garantem que uma empresa está produzindo em bases sustentáveis. Este selo é aceito no mundo inteiro e no Brasil, é traduzido pela ABNT. Desde então o sistema de licenciamento ambiental no Brasil e mundo, vêm passando por uma série de mudanças, seja para atender realmente as questões ambientais, ou atender aos interesses econômicos. No Brasil, as últimas alterações significativas com relação às questões ambientais, foram realizadas no código florestal em 2012, lei n° 12651 de 25 de maio de 2012 e no licenciamento ambiental em 2017, deliberação normativa COPAM N° 217 de 06 de dezembro de 2017. A preocupação com o crescente uso desordenado dos recursos naturais gera uma demanda de estudos integrados e interdisciplinares que possibilitem a análise e tomada de decisões assertivas em relação ás questões ambientais e que deve ser levado em consideração os vários atores da sociedade. Desta forma, esta proposta objetiva direcionar esforços para atuação no programa interdepartamental de pós-graduação interdisciplinar em artes, urbanismos e sustentabilidade (PIPAUS), que envolva: a) uso sustentável de recursos naturais b) gestão ambiental em áreas rurais e urbanas, c) educação ambiental, d) integração da área de solos e gestão ambiental com outras práticas já existentes do PIPAUS e que possuem em seu eixo norteador, a sustentabilidade, tais como agroecologia e tinta de terra, além de outras, como, por exemplo, áreas sociais, econômicas e artísticas. Metodologias de Neto et al (2001), Gonçalves et al (2002), Resende et al (2002), Embrapa (2006), Trindade et al (2007), Kageyama (2008), Martins (2010) e Prusk (2011), serão utilizadas. Esta proposta a ser realizada visa contribuir para a melhoria das condições ambientais na região do Campo das Vertentes e seu entorno.

 

PALAVRAS-CHAVE: Erosão Hídrica, Sustentabilidade, Gestão Ambiental.

 

Linha de Pesquisa

Linha 2 - Processos de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade.



 


Valeria Maria Martins Judice
Lattes: http://lattes.cnpq.br/2864458375152277
E-mail: valeriajudice@ufsj.edu.br

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

Mulheres Arquitetas Brasileiras e suas Práticas em Artes, Urbanidades e Sustentabilidade

 

RESUMO:

Tem sido reconhecido na área de arquitetura um relativo desequilíbrio entre profissionais homens e mulheres arquitetos, no que diz respeito a valorização e reconhecimento de seu trabalho. Em especial, o trabalho das mulheres arquitetas teria sido comparativamente menos reconhecido do que o trabalho dos homens. Internacionalmente, observa-se a preponderante premiação de homens arquitetos contemplados com mais famoso prêmio na área de arquitetura, o Pritzker. Apenas uma mulher foi contemplada com essa premiação individualmente a arquiteta anglo-iraniana Zaha Adid. Outras mulheres vencedoras do prêmio Pritzker foram Carme Pigem e Kasuyo Sejima, que o fizeram ao lado de parceiros homens. Historicamente, a área de Arquitetura foi dominada por homem mas há mais de quarenta anos tem-se observado o crescimento do número de mulheres ingressando em cursos de Arquitetura. Em 2017 haviam 154.264 profissionais atuando no Brasil, destes 62,6% eram mulheres e 37,4% homens (ECHEVERRIA, 2018. Enquanto no Brasil as mulheres, no Brasil, são mais de 60% dos profissionais o destaque (premiação e reconhecimento) de mulheres na área de arquitetura ainda seja menor, com maior reconhecimento do talento masculino. Esse projeto busca investigar a participação e posicionamento da mulher arquiteta na sociedade, considerando alguns aspectos de insustentabilidade do menor reconhecimento das profissionais mulheres na arquitetura relativamente aos homens. O crescimento da participação de mulheres profissionais na área de arquitetura amplia perspectivas e agrega novos olhares, valores e práticas que se refletem em melhores aspectos habitacionais e de conforto, assim como propicia novos olhares aos aspectos de sustentabilidade urbanidades e desenvolvimento artístico, ao ampliar o entendimento e visões da cidade, formas de projetar e novos saberes, melhores práticas e formas de construir e de viver melhor. Por outro lado, há que se reconhecer que a atividade feminina e seu trabalho em arquitetura e urbanismo apresenta aspetos de insustentabilidade, menos valia ou reconhecimento do trabalho feminino em arquitetura, fato que costuma ocorrer nos eventos de premiação internacional como o Pritzker. Esse projeto propõe analisar as atuais condições de desempenho e reconhecimento de mulheres arquitetas brasileiras, considerando as visões de mulheres atuantes como profissionais da área, como professoras assim como estudantes de arquitetura em três universidades, sendo duas públicas (Universidade Federal de Minas Gerais e Universidade Federal de São João Del-Rei) e uma universidade privada (Universidade de Itaúna). Objetiva-se assim, nesses três ambientes selecionados para a pesquisa, entrevistar mulheres arquitetas profissionais formadas na instituição, professoras atuantes e também mulheres estudantes de cursos de arquitetura, assim como homens arquitetos (professores, arquitetos formados nas instituições estudadas e estudantes de arquitetura).

 

PALAVRAS-CHAVE: mulheres arquitetas, ausência ou baixo reconhecimento profissional de mulheres arquitetas; raridade de premiação "Pritzker" a projetos de mulheres arquitetas;  

 

Linha de Pesquisa:

Linha 1 – Processos Criativos



 


Zandra Coelho de Miranda
Lattes: http://lattes.cnpq.br/6788268070484615
E-mail: zandra.coelho@gmail.com

 

PROJETO DE PESQUISA DOCENTE (SÍNTESE)

TÍTULO:

Poéticas da terra e suas interfaces.

 

RESUMO:

Este projeto propõe investigações sobre a cerâmica e a pintura como materialidade, linguagem artística e processo, além de suas possibilidades de aplicação social. Se propõe a estudar os processos de criação artística, desde a concepção e projeto até a materialidade dos resultados finais, no caso da cerâmica envolvendo processos de preparação dos materiais, conformação, construção de fornos, processos de queima,  sempre com vistas à sustentabilidade socio-ambiental.  Propõe também o estudo da história e dos diversos contextos em que a cerâmica é produzida através dos tempos, considerando-se os aspectos sociais, etnológicos e antropológicos. Outro ponto de estudo, que tem suas raízes fincadas na extensão inclui as possibilidades de desenvolvimento de produtos cerâmicos  para inclusão social e geração de renda em comunidades que se encontram em risco social e em contextos da educação formal e não formal, incluindo-se ainda o contexto terapêutico, visando a sustentabilidade econômica e socioambiental.

 

PALAVRAS-CHAVE: Artes Visuais, Cerâmica, Arteterapia, Sustentabilidade,

Urbanidades, Geração de renda.

 

Linhas de Pesquisa:

Linha 1 – Processos Criativos

Linha 2 - Processo de Difusão: Popularização, Educação e Aplicabilidade.