PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA


Professores Permanentes
 
 
Afonso de Alencastro Graça Filho
e-mail:
 
Graduação, mestrado e doutorado em História (UFRJ).
 
Suas pesquisas se ligam ao conhecimento da organização das unidades produtivas em Minas Gerais nos séculos XVIII e XIX. Seus objetivos buscam entender o funcionamento econômico da escravidão numa área voltada à produção de abastecimento para o mercado interno e sua dinâmica ao longo do citado período, enfocando a questão da conversão da estrutura produtiva durante a chamada "decadência da Idade do Ouro" e suas implicações para a sociedade mineira oitocentista. Duas vertentes de análise são utilizadas em seus trabalhos: a da demografia escravista e a da dinâmica econômica. Em ambas perspectivas, a análise quantitativa se relacionará à micro-análise longitudinal das histórias de vida e da distribuição da riqueza entre gerações sucessivas.
 
Áreas de interesse: História econômica; História do Brasil, séculos XVIII e XIX; História de Minas Gerais, séc. XVIII e XIX. Disciplinas que ministra: Sociedade e Economia; Métodos e Técnicas da Pesquisa Histórica.

 
Alfredo Nava Sánchez
 
Possui graduação em História pela Facultad de Filosofía y Letras da Universidad Nacional Autónoma de Mexico (UNAM) (2005) e em Antropologia pela Universidad Autónoma Metropolitana, campus Iztapalapa (UAM-I) (2017). Possui mestrado em História pela Facultad de Filosofía y Letras, UNAM (2010), e doutorado em História por El Colegio de Mexico (COLMEX) (2013). Pós-doutor em Antropologia pela Escuela Nacional de Estudios Superiores da UNAM-Morelia (2014) e em História pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) (2018).

Tem experiência na área de História, com ênfase em História Latino-Americana, atuando principalmente nos seguintes temas: História Sociocultural da América e Historiografia Comparada da América Latina.

Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Histórica e Antropologia Urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: Teoria Social e Antropologia Histórica dos Povos Originários da América.


Cássia Rita Louro Palha
e-mail: 
 
Licenciatura em História (UFJF), mestre em Educação (UFF) e doutorado em Comunicação e História (UFF).

Desde o meu mestrado venho desenvolvendo pesquisas em torno da história da mídia; das relações entre telejornalismo e a cultura política brasileira; da abordagem e dos usos de linguagens midiáticas (em especial as audiovisuais), seja no ensino de história, seja junto à produção de memórias e de narrativas historiográficas em circulação na vida pública. Coordeno o Programa de Extensão Laboratório de Imagem e Som e o laboratório de mesmo nome, vinculado ao Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de São João del-Rei. O Programa integra ações de pesquisa, ensino e extensão ligadas ao uso de recursos orais, audiovisuais e midiáticos, entendidos tanto como fontes, quanto como meios de veiculação de conhecimentos sociológicos e historiográficos.

Áreas de pesquisa: História da mídia; telejornalismo e cultura política; ensino de história; memória; linguagens midiáticas.  


Danilo José Zioni Ferretti
 
Graduação e doutorado em História (USP).
 
Historiador do cultural em sua conexão com o político, dedico-me a um arco temático de pesquisas que compreende as relações entre a história e o literário, os usos políticos do passado, regimes de temporalidade, as transferências culturais e os processos de construção de identidades coletivas, nacional e regional principalmente. Como recorte geográfico me dedico a pesquisas sobre o Brasil, com destaque para o Rio de Janeiro e São Paulo, também realizando incursões em outras regiões do país e fora dele, desenvolvendo pontualmente a abordagem transnacional. Em termos cronológico privilegio o período entre as décadas de 1830 e 1930.
 
Para tanto me aproprio dos referenciais metodológicos da História Intelectual, da história da historiografia, da história do livro e da leitura e da história do político renovado. De modo específico estudo as escritas da escravidão no séc XIX brasileiro, a circulação de romances estrangeiros sobre escravidão no Brasil do séc XIX, Escravidão e espaços de sociabilidade no Brasil do séc XIX, romantismo indianista e nacionalidade no séc XIX. Estudei os usos políticos do passado regional na construção da identidade paulista entre os sécs XIX e XX.
 
Áreas de interesse: Intelectuais; escravidão; literatura; Historiografia; temporalidade; identidades coletivas.

Eder Jurandir Carneiro
 
Doutor em Sociologia e Política pela UFMG.

Possuo doutorado em Sociologia e Política pela Universidade Federal de Minas Gerais (2003). Atualmente, sou professor Associado da Universidade Federal de São João del-Rei. Trabalho na área de Sociologia dos Conflitos Ambientais, mais especificamente sobre as desigualdades e conflitos envolvidos nos processos de construção e apropriação de territórios rurais urbanos. Tenho realizado e orientado pesquisas em História Ambiental, História Urbana, Sociologia Urbana e Sociologia dos Conflitos Ambientais. No plano teórico, esse trabalho assenta-se nos conceitos de justiça ambiental, conflitos ambientais e território, procurando realizar a crítica das concepções hegemônicas sobre a chamada questão ambiental. Sou coordenador do Núcleo de Investigações em Justiça Ambiental (NINJA) da Universidade Federal de São João del-Rei), que realiza atividades de pesquisa e extensão relacionadas a conflitos ambientais rurais e urbanos.



 
 
Euclides de Freitas Couto
e-mail: euclides@ufsj.edu.br 
 
Possuo graduação em História (PUC-Minas), graduação em Educação Física (CEUCLAR), mestrado em Ciências Sociais (PUC-Minas) e doutorado em História (UFMG). Realizei estágio pós-doutoral na UFRJ em parceria com a Universitat Ramon Lull – Barcelona.
 
Minhas pesquisas estão inseridas nas áreas da história e da sociologia do esporte, com ênfase nas questões políticas e sociais que envolvem o futebol. Atualmente, investigo temas como os rebatimentos políticos do esporte no período de governos totalitários e os movimentos sociais no campo esportivo.
 
Membro do Grupo de Pesquisa Sport: Laboratório de História do Esporte e do Lazer (UFRJ). 

Ivan de Andrade Vellasco
e-mail:
 
Graduação em Ciências Sociais (UFRJ), mestrado em Antropologia e Sociologia (UFMG), doutorado em Sociologia (IUPERJ).
 
Busco analisar o processo da gênese e formação das instituições, da montagem da máquina burocrática capaz de levar a cabo o monopólio legitimo da violência pelo Estado. Trata-se de fazer uma “história social” da construção do Estado no Brasil, não visto de cima, a partir dos atores centrais e suas ações decisórias, mas no processo de gestação dos mecanismos institucionais que objetivaram o Estado e tornaram possível a sua realização. Toma como objeto, numa vertente, a administração do sistema de justiça, suas práticas e seus usos e interações sociais, buscando elucidar o processo de construção dos aparatos coativos de Estado. Por outro lado, através do estudo das formas de implementação de controle e negociação da ordem social, pretende-se articular as dimensões da construção do Estado e da negociação e implementação de direitos civis que conformam os espaços de cidadania.
 
Participo do projeto “Nação e cidadania no Império: novos horizontes”, do Centro de Estudos do Oitocentos (CEO), que congrega pesquisadores de várias instituições. O projeto, coordenado pelo prof. José Murilo de Carvalho (UFRJ) é financiado pelo PRONEX/FAPERJ/CNPq.
Em 2003 minha tese de doutorado recebeu o primeiro prêmio no Concurso Brasileiro CNPq – Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS) de Obras Científicas e Teses Universitárias em Ciências Sociais - ANPOCS.
Sou diretor do Laboratório de Conservação e Restauração de Documentos e Obras Raras (LabDoc).
 
Áreas de interesse: Sociologia Histórica; História social da Justiça; História do Brasil Império.

João Paulo Coelho de Souza Rodrigues
e-mail: jprodrigues@historia.ufrj.br 
 
Graduação, mestrado e doutorado em História (Unicamp).
 

Tenho duas linhas de pesquisa interligadas: intercâmbios intelectuais entre Argentina e Brasil e racismo na Argentina (1850-1930). A articulação se dá na interface entre história intelectual e histórica cultural, na perspectiva da história cruzada. Pesquiso mais especificamente circuitos transnacionais de jornalistas, escritores, ilustradores e a circulação de sua produção no eixo Rio-Buenos Aires, tendo como principal fonte a imprensa periódica. Também me interesso pelas ideias racistas na Argentina, sua relação com o imaginário sobre raças, o Brasil e a África na imprensa, sobretudo em termos gráficos (publicidade, histórias em quadrinhos, caricaturas, fotografias e ilustrações).
Em 1998, meu mestrado, posteriormente publicado, ganhou o segundo lugar no Prêmio Carioca de Monografia da Prefeitura do Rio de Janeiro. Fui professor da Universidade Federal de São João del Rei (2004-2018) e professor visitante na Universidade de Buenos Aires (2003). Sou atualmente professor de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Fui presidente da Seção de Minas Gerais da Associação Nacional de História (ANPUH-MG) entre 2004 e 2006.


Áreas de interesse: História cultural; História Intelectual; História do Brasil Império; História do Brasil da Primeira República; História da Argentina; História Latino-Americana


Leon Frederico Kaminski

E-mail: kaminski.historia@gmail.com

Lattes 

Doutor em História pela Universidade Federal Fluminense, mestre e bacharel em História pela Universidade Federal de Ouro Preto, graduado em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É professor da Universidade do Estado de Minas Gerais, unidade Campanha, e um dos coordenadores do Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão em História e Memória (NEPEHM/UEMG).
Tem dedicado suas pesquisas ao estudo da História do Brasil República e da História Contemporânea, com especial foco no período ditatorial brasileiro e nas relações entre cultura
e política. Atualmente, investiga a construção de políticas de repressão às drogas durante a ditadura militar. 
 
Áreas de interesse: Brasil República; História Contemporânea; cultura e política; ditadura militar; repressão; circulação cultural; juventude; movimentos culturais.

Letícia Martins de Andrade 

Possui licenciatura em Educação Artística e bacharelado em Artes Plásticas pela Universidade Estadual de Campinas - Unicamp (1990), mestrado em História da Arte e Cultura (1999) e doutorado em História pela mesma universidade (2004) – com período sanduíche na Università degli Studi di Pisa (2002) – e pós-doutorado pela FAU-USP (2006) e Unicamp (2014). Tem experiência na área de História da Arte, atuando principalmente nos seguintes temas: história da arte e da arquitetura ocidental, estudo da tradição clássica, arte colonial mineira e história da cerâmica.

Atualmente é coordenadora do Centro de Estudos e Pesquisa em História da Arte e Patrimônio da Universidade Federal de São João del-Rei (CEPHAP-UFSJ).


Luciana Massami Inoue
email: lmi@ufsj.edu.br
 
Graduação em Arquitetura e Urbanismo (USP); Mestrado e Doutorado em História e Fundamentos da Arquitetura e do Urbanismo (USP)
Professora Adjunta do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFSJ; Coordenadora do Grupo de Pesquisa GPACTHAU - Grupo de Pesquisa em Análise Crítica, Teoria e História da
Arquitetura e do Urbanismo.
 
Minhas pesquisas estão voltadas para a área de História da Arquitetura e Urbanismo. No doutorado, desenvolvi pesquisas sobre patrimônio industrial e ferroviário no estado de São Paulo, onde busquei subsídios na história econômica e social e na história de empresas, para obter uma melhor compreensão destes espaços. Atualmente, busco desenvolver pesquisas sobre patrimônio industrial e ferroviário em São João del-Rei e território mineiro. Outros focos de pesquisa são: cartografia histórica e morfologia urbana, onde a arquitetura é vista como artefato cultural e elemento da paisagem; e o urbanismo como fruto das relações sociais, nestas incluídas certamente, as relações econômicas e políticas. As pesquisas, portanto, possuem múltiplas entradas e caráter interdisciplinar, com grande fundamentação histórica. Coordenadora do GPACTHAU - Grupo de Pesquisa em Análise Crítica, Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo.
 
Áreas de interesse/pesquisa: História Urbana; História Econômica e Social; História e Cultura Material; Imigração; Cartografia; Patrimônio industrial e ferroviário.

 
Luiz Francisco Albuquerque de Miranda
 
Graduado em História (Unicamp), mestrado e doutorado em Filosofia (Unicamp).
 
Desenvolvo pesquisas na área da história da historiografia e história do pensamento político, dedicando-me especialmente aos séculos XVII e XVIII. Dentro desse amplo campo temático, tenho particular interesse pela constituição de uma “história da América” e pelas representações dos americanos formuladas no período. Procuro articular esses produtos culturais com a expansão ultramarina e com a concepção ilustrada de “homem civilizado”. Meu doutorado investigou os trabalhos historiográficos de Voltaire e suas polêmicas com outros ilustrados.
 

 
Marcos Ferreira de Andrade
 

Licenciado em Filosofia (UFSJ), Mestre em História (UFMG) e Doutor em História (UFF)

Desde o meu mestrado venho desenvolvendo pesquisas em temas relacionados à história da escravidão em Minas Gerais, com destaque para as rebeliões do período das Regências, especialmente sobre a Revolta dos Escravos de Carrancas. Já a minha pesquisa de doutorado teve como foco principal de estudo a trajetória das elites regionais do Sul de Minas Gerais e o papel que desempenharam na construção do Estado Imperial brasileiro. Este trabalho obteve o Prêmio Nacional de Pesquisa do Arquivo Nacional, edição de 2005, e foi publicado em 2008. Também possuo larga experiência na organização, arranjo, descrição e digitalização de acervos históricos. Integro a equipe de coordenação do Projeto Fórum Documenta, do Laboratório de Conservação e Pesquisa Documental, vinculado ao Departamento de Ciências Sociais da UFSJ. E sou investigador colaborador do Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Áreas de pesquisa: história social da escravidão; memória da escravidão; história do Brasil Império; história e documentação.


Maria Leônia Chaves de Resende
e-mail:
 
Graduação em Letras (UFJF) e em História (UFOP), mestrado e doutorado em História (Unicamp).
 
Minha área de interesse é América e Brasil colonial, com ênfase em História social e cultural. As temáticas com as quais tenho trabalhado são Etnohistória indígena e bandeirantismo. Mais recentemente, dedico-me à pesquisa sobre as festas religiosas coloniais e vários aspectos correlacionados a este tema. Dado os longos anos de trabalho na área, também me debruço sobre a organização de arquivos permanentes, especialmente aqueles de natureza colonial. Atualmente me encontro de licença para desenvolver meu pós-doutorado.
 
Áreas de interesse: Etnohistória indígena; História social da cultura. 

Moisés Romanazzi Tôrres
e-mail: mrtorres@ufsj.edu.br
 
Mestre (UFF) e Doutorado em História (UFRJ).

Trabalho na inter-relação da História com a Filosofia e outras Ciências, especialmente com Física (Cosmologia, Mecânica Quântica e Teoria das Cordas), Biologia (Paleontologia e Biologia Evolutiva), Teologia e Psicologia Teórica. Também trabalhonas áreas da Pré-história; História e Filosofia Antiga e Medieval; História da Igreja Católica.

Áreas de Interesse: Mecânica Quântica; Cosmologia; Teoria das cordas; Biologia Evolutiva; Pré-história Humana; Paleontologia de Vertebrados; História e Filosofia Antiga e Medieval; Psicologia Teórica; Teologia; História da Igreja Católica.


Patrícia Castro Mattos
e-mail:

Graduação em Ciência Política (UnB), mestrado e doutorado em Sociologia (UnB) e pós-doutorado (Fachhochschule Bielefeld - Alemanha).

Desde 2014, tenho me interessado em pesquisar as relações entre amor e capitalismo. Tomo como foco de análise a esfera do amor para refletir sobre as transformações da modernidade, com o intuito de compreender o entrelaçamento entre o crescente processo de individualização e o capitalismo. Considerando que a esfera amorosa vem passando por transformações importantes desde a década de 1960 com a revolução sexual, marcadas tanto pelo aumento de liberdade dos atores sociais, como também pela crescente mercantilização das relações amorosas, meu interesse tem sido analisar as ambivalências dessas transformações. Em tempos de plataformas de relacionamentos afetivo-sexuais, geridas pela lógica da sobreoferta de possibilidades de parceiros/as, institucionalizando as relações sexuais acumulativas e livres, há mudanças importantes nas interações afetivas. A hipervalorização da sexualidade e a hiperconectividade geram novos dramas em torno do amor. A crescente dificuldade de vinculação afetiva e de reconhecimento na esfera amorosa, que passa cada vez mais a ser regida pela lógica da oferta e da procura típica dos aplicativos de relacionamentos, apontam para as ambiguidades da liberdade e para novas desigualdades de gênero na esfera do amor. Meu interesse tem sido analisar como a crescente mercantilização promovida pela hiperconectividade e toda a revolução digital tem gerado transformações na esfera íntima, discutindo as especificidades e as desigualdades de gênero decorrentes dessa mudança social, bem como as potencialidades e obstáculos para a emancipação social.

Áreas de interesse de pesquisa: teoria social, desigualdades sociais e estudos de gênero. 



Silvia Maria Jardim Brügger
e-mail: 
 
Licenciatura, Mestrado e Doutorado em História pela Universidade Federal Fluminense.

Desde a minha graduação, a temática da história da família, durante o período escravista no Brasil, foi o campo a partir do qual me formei como pesquisadora. Pensar a família, em seus diferentes aspectos, como eixo estruturante da sociedade, da cultura, das relações sociais e de poder foi e continua a ser objeto de minhas investigações. Nos últimos anos, venho desenvolvendo pesquisas que integram o campo da história social da cultura, com destaque para as temáticas ligadas às identidades e religiões negras, à música e ao pós-abolição. Interessa-me, particularmente, problematizar os modos pelos quais a população negra cria e recria suas experiências culturais e as constituem enquanto meios de luta. Coordeno o Programa de Extensão Memorial Clara Nunes, responsável por esse espaço da memória, localizado na cidade de Caetanópolis, Minas Gerais. Nele, realizamos a conservação do acervo da cantora, a montagem de exposições, o atendimento a pesquisadores e a realização de oficinas pedagógicas com alunos de escolas da região.

Áreas de pesquisa: história da família; escravidão; pós-abolição; cultura negra; memória; história pública. 


Wlamir José da Silva
e-mail:
 
Mestrado e doutorado em História (UFRJ).
 
Trabalho com o processo de construção da hegemonia política, a cultura política, as identidades políticas e a articulação entre o regional e a construção do Estado-Nação no Brasil.
 
Áreas de interesse: História política; História de Minas Gerais no século XIX.

Professores Colaboradores

Manuel Jauará
 
Doutorado em Sociologia (USP).

Possuo graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1983), mestrado em Sociologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1991) e doutorado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (2003). Atualmente sou professor adjunto doutor de sociologia da Universidade Federal de São João del-Rei.

Tenho experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia da África Negra, atuando principalmente nos seguintes temas: questões étnicas, partidos políticos, transição democrática na África lusófona, parlamento e representação politica, História e cultura Africana e Afro-Brasileira e Sociedade e Religião.


Ingrid Silva de Oliveira Leite
 
Graduação e licenciatura em História pela UFRJ (2007), especialização em História da África e do Negro no Brasil pelo Instituto de Humanidades da UCAM (2008), mestrado em História pela UFRRJ (2011), doutorado em História pela UFF (2015) e pós-doutorado em História pela UFRRJ (2016).

Minha experiência de pesquisa abrange as missões religiosas na África, as estratégias de agentes europeus (militares, naturalistas e administradores) no continente africano, a produção escrita sobre a África, a autonomia e resistência dos povos africanos. Também me interesso por temas referentes ao ensino de História, relações étnico-raciais no Brasil, as representações da África, dos africanos e negros no Brasil em materiais didáticos, literários, oficiais e midiáticos. 


 
Orlando José de Almeida Filho
 
Pós- Doutorado no Programa de Pós-Graduação e Pesquisa de História da Universidade Federal de São Paulo - Guarulhos (2019). Doutorado em Programa: Educação: história política sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2008). Mestrado em Educação pela Universidade São Francisco (2003). Especialista em História, cultura e sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1997) e em Ciências Sociais pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (1995). Licenciatura em História pela Universidade de Franca (1989). Licenciatura em Filosofia e Estudos Sociais pela Fundação Educacional de Brusque (1983).

Tem experiência na área de História e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: História da Educação, Ensino de História, História do Brasil República e Ensino.