Orientação e Acompanhamento


PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA

Mestrado e Doutorado

 


1. Todo aluno admitido no Programa de Pós-Graduação em Bioengenharia terá professor (es) orientador (es) pertencente (s) ao corpo docente credenciado.

1.1.  Cada aluno de Mestrado Acadêmico poderá ter apenas um orientador, ratificado pelo Colegiado e pertencente ao corpo docente credenciado do Programa.

1.2. Cada aluno de Doutorado terá, além do orientador principal, pertencente ao corpo docente credenciado do Programa, pelo menos mais dois co-orientadores, todos ratificados pelo Colegiado do Programa.

1.3.Somente em casos excepcionais o Colegiado credenciará orientadores externos.

2. Compete ao orientador:

2.1. acompanhar o aluno ao longo do Programa, orientando-o de acordo com suas necessidades, na escolha e desenvolvimento de disciplinas e atividades;

2.2. prestar assistência ao aluno no planejamento de seu plano de estudo e com relação a processos e normas acadêmicas em vigor;

2.3. emitir parecer em processos e relatórios encaminhados pelo aluno, para apreciação do Colegiado;

2.4. aprovar, no início de cada período letivo, a matrícula do aluno, de acordo com o programa de estudos planejado, bem como pedidos de substituição, cancelamento e inscrição em disciplinas;

2.5. orientar o projeto de pesquisa, objeto de dissertação ou tese do aluno, bem como na preparação do trabalho de conclusão;

2.6. acompanhar o aluno na execução do trabalho de conclusão em todas as suas etapas, fornecendo os subsídios necessários e permanecendo disponível para as consultas e discussões que lhe forem solicitadas;

2.7. autorizar o aluno a defender o trabalho de conclusão, presidindo a Banca de Defesa de dissertação;

2.8. manter o Colegiado informado, permanentemente, sobre as atividades desenvolvidas pelo orientando, bem como solicitar as providências que se fizerem necessárias ao atendimento do aluno durante o Programa;

2.9. avaliar o desempenho de aluno bolsista, acompanhando as atividades pertinentes à bolsa, incluindo-se orientação na elaboração de planos de trabalho e Relatórios;

2.10. quando da ausência do orientador da Instituição, por período superior a seis meses, o orientador deverá indicar um docente do Núcleo Permanente do Curso, que responderá pelo acompanhamento acadêmico e administrativo do aluno.

2.11. presidir a defesa de dissertação ou tese e o exame de qualificação.

3. Por solicitação, devidamente justificada, do orientador ou do aluno, o Colegiado poderá autorizar a substituição do orientador, definindo a necessidade ou não de extensão ou prorrogação do tempo de integração do Programa.

3.1.  Na referida solicitação deverá constar o aceite assinado pelo novo Orientador.

4.  O Colegiado ou o orientador poderão exigir, a título de nivelamento, o cumprimento de número de créditos maior que o mínimo estipulado neste Regimento, para os casos em que esta necessidade for constatada.