Informações Gerais


Perfil do Egresso
 

Os Bacharelados Interdisciplinares, por sua natureza e concepção, não oferecem uma formação profissionalilzante. Desta forma e aluno egresso do BIB obterá um diploma de formação superior, mas não profissionalizante.

O BIB pode ser entendido como  primeiro ciclo de formação universitária onde um conjunto importante de competências, habilidades e atitudes, transversais às competências técnicas, aliada a uma formação geral com fortes bases conceituais, éticas e culturais assumiriam a centralidade nas preocupações acadêmicas dos programas. Não objetiva portanto a profissionalização precoce do discente, mas se constitui um período de discernimento acerca da escolha profissional futura. 

Após este primeiro ciclo, o discente pode optar pelo segundo ciclo, o ciclo profissionalizante, de forma mais consciente e madura.  Onde houver aceitação e reconhecimento da diplomação obtida, o egresso poderá se candidatar ao terceiro ciclo (pós-graduação) ou a vagas em empresas/concursos públicos nas áreas correlatas à seu intinerário formativo construído no BIB.

Assim, o  egresso do Curso de Bacharelado Interdisciplinar em Biossistemas da UFSJ deverá ter sua formação permeada pela ética profissional, associada a uma sólida formação, indispensável ao exercício de suas atividades. Para tanto, o futuro bacharel terá formação multidisciplinar sobre tecnologias disponíveis em diversas áreas do conhecimento, baseada em aulas teóricas e práticas que atendam às exigências curriculares.

Ao longo do seu curso de graduação, desenvolverá, ainda, capacidades no campo da informática, das áreas de gerenciamento e administração de recursos, da biotecnologia e, sobretudo, desenvolverá sensibilidade para as questões humanísticas, sociais e ambientais

Técnica e pedagogicamente, o Egresso do BIB será capacitado a:

 

·         Deter sólida formação cultural, política, humanística, social, científica e tecnológica, integrada à prática social e profissional comprometida com o processo de desenvolvimento sustentável, na qual se articule a formação geral e a especialização profissional.

·         Identificar problemas e construir soluções científicas e tecnológicas sobre temas relativos ao manejo e à recuperação de ambientes urbanos e rurais, considerando a qualidade ambiental e a diversidade cultural.

·         Possuir competências comunicativas na igualdade e na diferença, nas formas oral e escrita, convencional e eletrônica.

·         Agir de forma ética e crítico-reflexiva, inserindo-se na realidade socioeconômica e cultural nas dimensões local, regional, nacional e mundial.

·         Atuar em equipes interdisciplinares e multiprofissionais, desenvolvendo competências de relacionamento interpessoal, atitudes de solidariedade e capacidade de produção coletiva.

·         Assimilar e empregar criticamente tecnologias e conceitos científicos, promovendo intervenções e inovações nos mundos rural e urbano.

·         Formular e implantar modelos de desenvolvimento econômico viável, sustentável, assimilável pelas sociedades local e regional, consideradas as diversidades socioculturais, e comprometido com o equilíbrio ecológico.

·         Proceder a análises críticas a respeito do mundo do trabalho com vistas à preservação do meio ambiente.

·         Enfrentar os desafios das rápidas transformações da sociedade e do mercado de trabalho, adaptando-se às situações novas e emergentes.

Sensibilizar-se com os problemas sociais, humanos e ecológicos, tendo em vista a qualidade de vida dos grupos e comunidades rurais e urbanas com as quais atuará.

·         Comprometer-se com a aprendizagem permanente e com o autodesenvolvimento pessoal e profissional.

·         Comprometer-se com a educação ambiental e a promoção de uma consciência crítica da população sobre alternativas à crise ecológica em que estamos envolvidos.

·         Comprometer-se com os valores democráticos e com os princípios de justiça social.   

 

Os Bacharelados Interdisciplinares

 

Os BIs (Bacharelados Interdisciplinares) representam cerca de 10% das vagas em universidades públicas ofertadas no país. O advento e expansão desta modalidade de curso no Brasil é fruto da busca de inovação acadêmica realizada nos últimos anos.

Resumidamente, os BIs, que são o primeiro passo para a formação em ciclos, representam uma alternativa aos modelos de formação das universidades européias do século XIX, que ainda predominam no Brasil, mesmo estes modelos tendo sido superados em seus países de origem.

Os BIs são o espaço de formação universitária onde um conjunto importante de competências, habilidades e atitudes, transversais às competências técnicas, aliada a uma formação geral com fortes bases conceituais, éticas e culturais assumiriam a centralidade nas preocupações acadêmicas dos programas.

O documento com os referenciais orientadores dos BIs pode ser acessado aqui.